15 de março de 2010

Dias difíceis

Andei muito deprimida nos últimos dias, motivo pelo qual me mantive longe do blog. Dormia por horas e ainda assim me sentia muito cansada, não tinha ânimo e nem vontade para nada, estava sempre irritada, nervosa e triste. Não sou de ficar lamentando as coisas, nem de ficar chorando pelos cantos. Quem me conhece sabe que uma das minhas caracteristicas mais marcantes é a capacidade que tenho de achar coisas positivas em qualquer situação até mesmo nos momentos mais difíceis que cá entre nós não foram poucos ao longo da minha vida. Sempre venci todas as minhas dificuldades com bom humor e com a certeza que "as lágrimas podem durar uma noite mas que a alegria vem ao amanhecer" e que sempre amanhece. Mas nesses dias estava difícil enxergar qualquer resquício de luz diante de mim.

Sei que é normal passar por momentos de tristeza principalmente em dias frios e cinzentos como os que temos tido por aqui nas ultimas semanas. Já me senti assim antes, mas foi a primeira vez que experimentei essa sensação de uma maneira mais forte. Em um momento cheguei até a cogitar buscar ajuda profissional, pois as ideias estavam tão baguncadas dentro da minha cabeça que pensei que não seria possível ajeitar tudo sozinha. Na verdade não ajeitei sozinha, pois sem o apoio do meu marido, a alegria contagiante do Miguel e o carinho da minha mãe, mesmo que a distancia, eu não teria conseguido.

Já convivi com casos de depressão na minha família e com amigos próximos e hoje posso dizer que os entendo ainda mais. Entendo o quanto precisamos de apoio, compreensão e amor nesses momentos. A tristeza vem quando você menos espera e vem de mansinho se instalando aos poucos. Quando você percebe ela já tomou conta de você e já retirou toda a sua capacidade de acreditar que as coisas ficarão melhores. E ela vem mesmo quando você é muito amado pela sua família, mesmo quando você tem um filho saudável, um marido carinhoso, uma casa bonita, mesmo quando você tem uma grande fé em Deus. E não é fácil sair dessa tristeza desmedida e sem motivo.

Além de tudo o que já citei acima(carinho, apoio, amor, ajuda profissional), o principal para encontrar a saída é mesmo reconhecer que algo está errado, que você precisa de ajuda, que você precisa se erguer, enfrentar a dor e seguir em frente. E é isso que fiz. Chorei muito! Me senti mal, achei que minha vida tinha perdido o sentido, pensei que eu era a mais infeliz criatura do mundo. Mas, em determinado momento decidi que aquela não era eu e que a tristeza não combina com a vida que quero e que mereço viver.

Agora estou de volta, feliz por tudo o que tenho. Feliz pelo ar que eu respiro, pela dádiva que é viver cada dia concedido por Deus. Feliz por ter problemas como todos no mundo e por ter vitória em todos eles. Feliz pelo inverno que faz lá fora e mais ainda pela primavera que logo vai chegar. Provavelmente dias difíceis ainda virão, afinal eles fazem parte da vida de qualquer um, mas tenho certeza que tenho dentro de mim a forca de passar por todas as dificuldades e de sair de todas elas sendo uma pessoa ainda melhor. E quero me lembrar todos os dias da minha vida que a felicidade é sim uma escolha que devemos fazer todos os dias e que ela só depende de nós mesmos.

"Feier das Leben, Feier das Glück,
Feier uns beide, es kommt alles zurück..."

"Festeje a vida, festeje a felicidade,
festeje a nós e tudo vem de volta..."

12 comentários:

Paloma disse...

Existem momentos difíceis, de tristeza e precisamos nos permitir isso. Afinal, ninguém é feliz o tempo todo. Mas o melhor é depois de tudo dar a volta por cima, olhar os problemas por outro ponto de vista e tentar ficar bem. Força aí. bjo
Paloma e Isa

Flavia disse...

Liza,

Fico feliz de saber que vc esta mais feliz!
Me lembrei de quando voltei do Brasil, no ano passado, inverno, saudades da familia... questionamentos mil!
São coisas que super influenciam no nosso humor.

"A felicidade é uma decisão".

fica bem!!

muitos beijos

Beth/Lilás disse...

Liza, meu bem!
Fica assim não!
Lembra que a vida é linda e você tem o amor de tantos à sua volta.
Eu também às vezes penso que vou enveredar por este caminho, mas tô sempre encontrando saídas e muito vem do amor que tenho por mim mesma e dos meus queridos.
Estimo que melhore de vez mesmo.
beijinhos cariocas

Paula disse...

Eu acho que esse tempo ajuda muito, eu por exemplo fico sempr emais melancólica e depressiva por esta fase do ano, parece que o inverno nao acaba, é tudo cinza e umido um horror.
O importante é vc reconhecer essas fases e ir a luta. Melhoras!

Nanci disse...

Liza eu quero comentar que apesar de toda essa tristeza que vc sentiu no coração tem um propósito. Isso faz a gente ver as coisas de outro modo e apreciar as coisas assim como elas são. Isso aconteceu comigo depois que voltei do Brasil em janeiro e fiquei assim até o começo de março, uma tristeza imensa tomou conta de mim. Entrou na minha vida sem pedir e se instalou por quase três meses. E eu fiquei tentando entender porque estava assim, quis ler livros de auto-ajuda, sentia pena de mim mesma e queria ficar sozinha sem fazer nada e dormir o tempo todo. Fiquei me perguntando por que eu, ai li uma historia triste em uma revista onde o rapaz refletiu e disse “porque não eu”, quer dizer não sou especial e isso tudo é um desafio que eu tenho que atravessar na minha vida, e pode acontecer com qualquer pessoa.

Foi um tempo difícil, mas agora passou. Posso falar que depois que decidi que não vou ser uma pessoa infeliz sem motivos, comecei a observar que as flores começaram a aparecer no jardim, as revistas de primavera começaram a chegar em casa com cores lindas, fizemos os planos de viagens, etc. Sei la, comecei a ver as coisas diferente. Outra coisa é que estou meio entediada com o meu trabalho, mas tenho que ficar ate terminar a faculdade (eles pagam as mensalidades, os livros e ainda dão tempo livre para estudar).

Mas comecei a fazer outros planos de negócios que posso fazer paralelo com o meu trabalho. Como por exemplo, fazer tradução para ganhar uma graninha a mais e ter contato com o nosso português e indiretamente com o Brasil que nunca sai do meu pensamento.

Lucia Cintra disse...

Eu passei por isso quando meu pai foi transferido pra ca - ha mt tempo atras. Nao gosto nem de reler minhas agendas da epoca, pois estava triste e deprimida mesmo.

Mas como voce disse, o que ajuda a tomarmos o primeiro passo a sair dessa, eh a realizacao de que algo esta errado. Minha familia ajudou tb, mas acho que o mais importante, foi eu comecar a ter uma vida. Sair, conhecer pessoas, comecar a estudar, trabalhar... tudo isso eh mt importante e me ajudou a deixar a tristeza de lado e viver as oportunidades.

Que bom que voce esta melhor, querida Liza. Senti sua falta! Vc sabe que qq coisa estarei sempre aqui (mesmo longe fisicamente). bjos, Lu

Mi disse...

que bom que vc esta mais animada. Acho que é normal passar por fases tristes, principalmente no fim do inverno. Mas como vc falou, o mais importante é reconhecer que tem algo de errado e pedir ajuda. Com um pouquinho de paciencia e amor da familia, tudo se resolve. bjs!

Jane | Beijo de Pracinha disse...

como assim nao tem esperanca? como é a situacao de voces aí? o seu marido tem o visto restrito?

que bom que voce ta melhorando. beijo!

Ana Beatriz Ribeiro Amaral disse...

Querida, não se esqueça das 365 chances que temos para sermos mais felizes, sermos pessoas melhores.
E a felicidade é sim uma escolha que fazemos. Mas a tristeza em certos casos não é.
Você é uma pessoa forte e guerreira, com um poder de transmutar as mais adversas situações.
Dias ruins, desânimos, sentimento de frustração são normais na vida de todo mundo. Mas não deixe que isso vire rotina... e eu sei que você não deixará.
E lembre-se que mesmo longe estou sempre perto do seu coração.

Eve disse...

O bom é que tudo melhora, mais dia, menos dia.

Fica bem!
Bjs!

Lúcia Soares disse...

Liza, é momentâneo, já passou. São fases mesmo, e o melhor é que a gente sai delas fortificada, sabendo que tem bençãos mais do que males. Fica bem. Se precisar, me manda um e-mail. "Conversar" faz bem! Pena que os telefonemas sejam tão caros, né?
Bater um papo pelo msn também ajuda. Depois lhe dou o meu.
Bj e fica com Deus!

Dani dutch disse...

Liza eu passei 4 semanas sem for´cas, só queria ficar deitada, ia trabalhar me arrastando. bjuss