3 de novembro de 2009

Me chame do que quiser...

Escutei esse texto hoje no programa Mais Você e simplesmente adorei, talvez por ele retratar muito do meu jeito de ser. O meu jeito de amar sem limites, de me entregar por inteiro, de confiar nas pessoas, de me apaixonar a cada manhã, de andar nas nuvens, de correr atrás do que quero sem medos, de ser sincera com meus desejos, de ser leal e honesta com as pessoas, de querer ir longe mas sempre respeitando as pessoas que estão ao meu redor.

"Se parece ingênuo que eu acredite nas pessoas, que me chamem de tola. Se parece impossível que eu queira ir onde ninguém conseguiu chegar, que me chamem de pretensiosa. Se parece precipitado que eu me apaixone no primeiro momento, que me chamem de inconsequente.

Se parece imprudente que eu me arrisque num desafio, que me chamem de imatura. Se parece inaceitável que eu mude de opinião, que me chamem de incoerente. Se parece ousado que eu queira o prazer todos os dias, que me chamem de abusada.

Se parece insano que eu continue sonhando, que me chamem de louca. Só não me chamem de medrosa ou de injusta, porque eu vou à luta com muita garra e muita vontade de acertar. E foi lutando que eu perdi o medo de ser ridícula, de ser enganada, de ser mal entendida. Perdi, na verdade, o medo de ser feliz.

Não me incomoda se as pessoas me veem de forma equivocada. O importante mesmo é como eu me vejo... Sem cobrança, sem culpa, sem arrependimento. A gente perde muito tempo tentando agradar aos outros, tentando ser o que esperam de nós. Eu sou o que sou e não peço desculpas por isso.

No meu caminho até aqui, posso não ter agradado a todo mundo, mas tomei muito cuidado para não pisar em ninguém. Sendo assim, me chame do que quiser, eu não ligo... Porque eu só atendo mesmo quando chamam pelo meu nome, que eu tenho o maior orgulho de carregar. "

Texto: Lena Gino

3 comentários:

Evelyne disse...

LIZA!!!!!!!!!!! ;)

Tb combina bastante comigo...

Bjs e ótima semana!

Beth/Lilás disse...

Liza,
Que texto bacana e super franco!
Sabe, hoje, do alto dos meus 50 e poucos anos, também me vejo assim e tenho muito orgulho, sinto-me completa.
bjs cariocas

Lucia Cintra disse...

Eu assino em baixo, pois tb faco o que quero, sou como sou e nao dou a minima pra o que os outros pensam de mim. bjos