29 de maio de 2009

Dando continuidade...

Por sugestão da Lúcia do blog Um amor de pessoa, vou dar continuidade a saga do conserto da televisão. Ganhei essa TV de uma amiga em 2006 quando estive aqui na Alemanha pela primeira vez. Ela já estava com defeito no som, não tinha como aumentar o volume que era muito baixo. Confesso que inúmeras vezes pensei em atira-la pela janela, afinal o objetivo do presente era que eu melhorasse meu alemão, mas eu não conseguia ouvir praticamente nada na bendita. Compramos uma caixa de som e resolvemos o problema, mas tadinha de uns meses pra cá "o controle do vertical está com defeito" (segundo o engenheiro eletronico da casa). Traduzindo para a linguagem dos normais: ficam subindo umas linhas o tempo todo e agora que se pode ouvir bem, não se consegue ver nada da imagem. Tá, nem tudo pode ser perfeito!

Então, o marido com a sua mania de consertar tudo o que ele vê pela frente abriu a TV. Ele sempre teve essa mania. Os irmãos dele me contaram que quando a ventoinha do computador da casa deles deu defeito, a pessoa apareceu milagrosamente com uma solução: A CPU ficava aberta e sempre que ligavam o computador, automaticamente se ligava o ventilador que funcionava como a ventoinha e que era meio que acoplado ao computador. Dá pra acreditar? Isso sem falar nas inúmeras pecinhas que tenho aqui em casa, "sobra" das coisas que ele abre para consertar ou simplesmente ver como funciona. A melhor coisa pra ele eh quando estraga alguma coisa, tipo meu secador ou o ferro de passar, por que eh mais pecinhas para a sua colecao.

Eu adoro isso nele e me divirto com a confusão que ele apronta. Tá certo que as vezes sinto medo dele explodir a casa com os seus experimentos, ou fico brava quando ele "passa" as plaquinhas dele com meu ferro de passar ou quando ele esquece as pecinhas dele espalhadas pela casa. Um dos nossos planos para o futuro eh construir um laboratório para ele "brincar", claro que bem no fundo do quintal e de preferência com protecao contra explosões. Também já sei que depois desse laboratório, provavelmente ele não vai se lembrar de voltar para casa para comer ou dormir.

Ah, a televisão? Essa não teve jeito mesmo. Já estamos pensando numa nova, ou num projetor que eh o sonho de consumo do Bebeto nesse momento. E claro depois dessa aquisição a TV velha vai ser transformada em pequenos pedacinhos para que ele possa se divertir nos momentos de folga.

4 comentários:

neli disse...

Ok perdi a aposta .....
mas é só porque não tinha jeito mesmo .....

Lúcia Soares disse...

Meu marido é um pouco assim. Explico: ele abre, tenta consertar mas se não consegue, fecha tudo direitinho e guarda o objeto montadinho. Assim, tem uns 4 aparelhos de telefone, uns 3 secadores, uma TV, um...iiii!!! tem é "tralha" na sua oficina. Sim, ele fêz um quarto pra ser a oficina. Trabalha muito bem com madeira, poderia ser um ótimo artesão. Quem sabe, quando se aposentar?!

Paula disse...

me lembrou meu pai... ainda bem que meu marido é bom nessas coisas de concerto. Também poderia, ele é tecnico eletricista e adora carros. Mas de pecinhas e pedaço de fios espalhados pela casa eu também não me livro.

Lucia Cintra disse...

Homem eh engracado, ne? Al nao eh tao 'fuxiquento' qdo ele, mas tb gosta de abrir os amplificadores musicais dele pra melhora-los e carro tb. Esta sempre fucando no dele e volta e meia estamos indo no meu pai pra usar a garagem dele, rsrs.

Eu aqui ja ia falar pra vcs jogarem essa TV fora e comprar outra. Nao pensaria duas vezes, rsrs.

Bjos