6 de agosto de 2010

Sentimentos: Desejo

É impossível separar o homem desse sentimento. Somos seres feitos essencialmente de desejos, vontades, sonhos e são eles que nos impulsionam a seguir sempre em frente. É na busca pela realização dessas vontades que acabamos determinando o rumo que a nossa vida vai tomar. Talvez por isso esse sentimento tenha sido desde sempre objeto de estudo de grandes pensadores, filósofos, teólogos. Quem não quer entender a alma do homem, a sua eterna insatisfacao e busca por algo que muitas vezes o próprio homem não sabe explicar, esse buraco que cada um traz dentro de si, como dizia o filósofo Schopenhauer: "o ser humano é essencialmente vontade, que o leva a desejar sempre mais, produzindo uma insatisfacao constante. "

Santo Agostinho em seu livro "Confissões" dizia que o desejo, juntamente com a alegria, a tristeza e o medo são as principais perturbacoes da alma do ser humano, deixando-o sempre inquieto. Segundo ele, isso acontece devido a capacidade de insatisfacao do homem, que deseja sempre mais, sem nunca se satisfazer. Para ele só existe uma solução para essa aflição: o homem precisa mudar o seu objeto de desejo. Ao invés de desejar bens materiais, o homem deve canalizar seu desejo na busca do que não irá perecer nunca, no que é absoluto e eterno, no amor de Deus. "Cor meum inquietum donec requiescat in Te." (Meu coração permanece inquieto até repousar em ti, ó Deus).

Essa semana recebi uma visita aqui em casa que me disse que quando Deus nos fez ele colocou dentro de nós um ratinho, o ratinho da insatisfacao. Muitas pessoas passam a vida inteira tentando saciar esse ratinho. Desejam ter dinheiro, carros, casa própria, uma mulher bonita e companheira, filhos saudaveis. Não estão errados em desejar. Temos que desejar o que nos traz conforto e felicidade, mas devemos ter cuidado com tudo o que desejarmos. Tudo o que recebemos traz responsabilidades, consequencias. Por isso precisamos canalizar os nossos desejos sempre para o que é bom e não perder tempo achando que acumulando bens materiais encontraremos a satisfacao plena. A verdade absoluta é que embora a gente realize muitos dos nossos desejos ao longo da vida, o ratinho que vive dentro de nós nunca irá se satisfazer enquanto não aprendermos que nada, nem ninguém pode saciar o grande e verdadeiro vazio que temos dentro de nós. Esse vazio representado pelo desejo de acreditar em algo maior, o desejo de encontrar e de viver o verdadeiro amor, o amor incondicional que só encontramos em Deus Pai, nosso criador.

Deseje, corra atrás do que te faz feliz, não desista dos seus sonhos por mais difíceis que eles pareçam, mas nunca se esqueça que
"onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração."
Mateus 6.19-21

**Esse post faz parte da blogaem coletiva proposta pela Glorinha do blog Café com Bolo.

13 comentários:

Astrid Annabelle disse...

Muito bom o seu post sobre desejo, Liza!
"o homem precisa mudar o seu objeto de desejo. Ao invés de desejar bens materiais, o homem deve canalizar seu desejo na busca do que não irá perecer nunca, no que é absoluto e eterno, no amor de Deus."
Penso assim e vivo assim.
Participo da blogagem coletiva da Glorinha e vim lhe conhecer.
E isso é muito gostoso...fazer novas amizades.
Um beijo
Astrid Annabelle

Glorinha L de Lion disse...

Oi Liza, benvinda à blogagem! Desejar faz parte do "ser" humano. Graças à eles a humanidade progrediu, os homens inventaram as máquinas, a espécie evoluiu...em compensação trouxe tb muita guerra e incompreeensão...Mas desejar, assim com respirar é inevitável...é o que no move pela vida. bjs.

Lianara **Lia** disse...

OLÁ Liza!

Gostei muito da sua postagem!
Parabéns!

Desejo que todos os teus sonhos se realizem!!

Beijos

Lia

Blog Reticências...

Deia disse...

Oi Liza! Vim visitá-la através da Blogagem Coletiva. Concordo contigo. Desejar as coisas terrenas é saudável, desde que não tome espaço das coisas da alma, essas, verdadeiramente importantes. Devemos ser, sempre, responsáveis por aquilo que desejamos. Um beijo, Deia.

Lúcia Soares disse...

Liza,um post profundo e delicado. Terminou igualzinho a Françoise, do "diariodebordosuecia.blogspot.com", com quem acho que se identificará demais. Vai lá!
Suas colocações são certas, não adianta a gente querer ter tudo. É preciso ter, antes de mais nada, equilíbrio, paz, saúde, mas os objetos de desejo são sempre isso, "objetos". Mais vale termos "sentimentos do desejo", né? Acho que seria tudo muito melhor.
Mas também o poder ter o que nos proporcione uma vida boa e plena, pois nascemos para ser felizes, sem dúvida.
Beijos e desejo-lhe um lindo fim de semana.

orvalho do ceu disse...

Olá,
Gostei demais do final do seu post... parabéns!
Bjs e vamos correr atrás... sem esmorecer... Venceremos!
Bjs e serenidade pra vc.

Beth/Lilás disse...

Lindo post Liza!
Como disse o amigo com o exemplo do ratinho, devemos ter cuidado com certos desejos, pois muitas vezes estes desejos ao se transformarem em realidade, transformam também nossas vidas e às vezes para pior.
Meu post fala daquilo que você tem vivido com seu filhote, não deixe de ler também.
Adorei sua participação brilhante na blogagem da Glorinha. Parabéns!
beijinhos cariocas

Socorro Melo disse...

Oi, Liza!

Estou te visitando pela primeira vez, graças a blogagem coletiva, e vou voltar.
O seu post nos remete ao entendimento de que em nossa mente se originam todos os nossos desejos, por isso devemos desejar sempre coisas boas e justas, que nos tragam frutos doces, e assim evitaremos consequências desagradáveis.

Desejo-lhe saúde e paz!
Socorro Melo

Dani dutch disse...

OI Liza, tudo bem?
Liza concordo em genero, numero e grau com seu post.. e as vezes passamos por tantas cosias na vida que o que importa mesmo é a saúde, pois o dia que deixarmos esta terra os bens materiais ficaram aqui. bjuss

pensandoemfamilia disse...

Olá
Participo da coletiva sobre sentimentos e emoçoes e, mesmo com atraso, vim ler seu post.
Deseja é inerente ao ser humano, mas como vc diz muito bem que o material não suplante os desejos do coração.
bjs

Luma Rosa disse...

Dizem que temos que ter muito cuidado com o que desejamos e seguindo a linha do seu post, diria que a responsabilidade em desejar é tamanha quanto escolher nosso próprio destino. O desejo pode ser vontade de realização ou destruição! Beijus,

Lilian disse...

Amiga, que delícia ler você! que saudade das nossas conversas, da sua linha de raciocínio, seguido com seu jeitinho todo especial de se expressar, de articular, sua voz doce e meiga.... que saudades! queria ouvir isso de vc, mas como nao posso me contenho em lê-la.
Te amo demais amiga! Saiba que eu estou muito feliz! Simplesmente feliz!

Jane disse...

nossa, que texto lindo! é tão alinhado com o que eu penso! beijo!