30 de junho de 2010

Marching on

Tenho andado numa tristeza danada nos últimos dias. Eu sei: tenho motivos de sobra para não me entregar a nada negativo. Mas, vai dizer isso para o coração que sofre de saudade. A distancia da família não te ajuda a enxergar as coisas racionalmente, a pensar que mesmo longe há algo maior que os une, que essa separação é para o bem de todos e coisas desse tipo. Em todo o tempo você se agarra a lembranças do passado e tudo o que você deseja é ter a oportunidade de vivenciar tudo de novo enquanto ainda existe chance. Digo isso por que não sabemos ao certo o que nos espera amanha, sabemos que a qualquer momento um de nós pode partir desse mundo.

Resumindo: morar longe é uma bostoca! Tem sim os lados positivos e por isso ainda insisto em ficar aqui. Adoro a Alemanha, a qualidade de vida aqui é incomparavel e o meu filho tem chances de ter um futuro melhor por aqui. Até acredito que a economia brasileira esteja bombando, mas vamos ser sinceros: num país onde vale mais a quantidade de dinheiro que você tem no bolso e onde valores morais são distorcidos para que o objetivo de "ganhar sempre" seja alcançado, as coisas podem mesmo melhorar? O que vi quando fui de férias foi um caos no sistema de saúde, uma violência desmedida e uma pobreza de doer no coração. Como disse o meu tio uma vez: "é preciso ter sangue frio nas veias para dar conta de ver as coisas que acontecem no Brasil e ainda conseguir deitar no travesseiro e ter uma boa noite de sono." Sinceramente não sei se quero isso de novo.

Viu o impasse? Vivo pesando as coisas. Uma balança onde coloco de um lado a saudade, a minha vida profissional, o clima e outras coisas que me fazem muita falta e do outro as mazelas sociais que assolam o Brasil de outro. Mas, quer saber: por mais que eu pese as coisas, sei que eu não vou tomar uma decisão baseada em nada disso. Meu coração pode se enganar e posso ir pelo caminho errado, afinal sou humana, guiada por emocoes e muitas vezes enganada por elas. Por isso, coloco tudo isso nas mãos de Deus e sei que Ele me levará para o caminho melhor, onde serei feliz apesar das dificuldades, afinal Ele é infalível e fiel em todas as suas promessas.

Mudando de assunto: Essa música passa sempre na TV Alemã quando tem jogos da copa. E nas horas que não tem jogos, ela toca aqui em casa. Viciei!


27 de junho de 2010

Los geht´s Deutschland!

Olha só que engraçado esse comercial lançado muito antes do inicio da copa da África do Sul. Vamos ver quem vai se sair melhor hoje nesse jogo que traz uma rivalidade histórica entre os dois times. Eu aposto na Alemanha! ;)

25 de junho de 2010

Algumas...

1- Olha ai em cima o livro novo de alemão que comprei na terça-feira. To imaginando a cara da professora quando ela vir como sou "descuidada" com meus livros. Agora me diz o que fazer quando um futuro pequeno artista rouba seu livro novo da mesa e faz uma dedicatória dessas? Eu adorei! Agora sejamos sinceros essa dedicatória linda é quase nada perto dos desenhos que ele fez no sofá. :)

2-Hoje estou sem marido para assistir o jogo do Brasil. Ele está em uma viagem de trabalho (chique, né?). Saiu cedinho todo engravatado, nem parecia engenheiro. De vez em quando ele tem umas apresentacoes em outras universidades sobre o projeto dele. Da ultima vez que ele foi numa viagem dessas, o Miguelzinho ficou tão desgostoso da vida que destruiu uma foto 3x4 do pai usando como arma um dos carrinhos dele. Bom, vamos ver como ele vai se comportar hoje. Sabendo disso vou aumentar a minha cota de paparicos para o pequeno, e eu nem gosto disso, né? :)

3-Hoje tem jogo. Adoro!!! Mas, não sei se a gente devia ganhar de Portugal. Sei lá! To com medo de pegar a Espanha nas oitavas, por que sejamos sinceros é só ela que pode colocar medo na gente até a final. Tá certo que só está dando zebra nessa copa, né? Mal sehen!!!

4-Tenho andado um bocado estressada, mas pense se não tenho razão. Fiquei 5 dias muito ruim com infecção de garganta. Tomei antibiótico por 10 dias por causa disso e agora, por causa do antibiótico to com uma infecção fungica. Dá para acreditar? Agora to usando o creme anti-fungico a uma semana e nada de ver resultado. Os médicos daqui são daquele tipo que dão os remédios mais fracos, por que acreditam que o corpo tem que reagir sozinho. Custava o cabra ter me dado um medicamento oral para fazer efeito rápido? Ah, se essa coceira fosse na mãe dele!

24 de junho de 2010

Os alemães e o pão de queijo

Essa semana recebi um email da esposa do chefe do Bebeto. Ela queria me convidar para um café no jardim da casa dela na semana que vem. Respondi o email dizendo que iríamos (o convite vale também para o Miguelzinho que poderá brincar na caixa de areia que ela tem lá. Mal sabe ela que ele odeia brincar com qualquer coisa que suje as mãos dele, principalmente areia.) e já comecei a martelar o que eu iria fazer para levar para o tal café.

Mais tarde nos encontramos no supermercado e ela disse que iria me ligar para perguntar se eu poderia fazer algo para o café. Eu disse que sim e que já estava pensando nisso. Ela perguntou o que eu iria fazer e se poderia ser algo típico do Brasil. Eu disse que faria um bolo de milho verde ou que pensaria num outro prato. Ela foi logo dizendo: "Por que você não faz aquelas bolinhas que eu comi na sua casa?" Depois dessa direta, eu é que não vou correr o risco de chegar lá sem as tais bolinhas, né? Eu só fico pensando é se ela experimentasse todas as delicias gastronomicas que existem ai na nossa terrinha. Acho que seria um convite a cada dois dias. :)

Então para contabilizar, mais uma alemã na lista do viciante pão de queijo mineiro. E por falar em vicio, bateu uma vontade, daquelas que não dá para resistir... :)

23 de junho de 2010

Meu novo hobby

Acho que não comentei aqui, mas tenho tido conversação com uma professora de alemão a cada duas semanas. Foi um presente da professora que se ofereceu para dar as aulas para mim e um estudante colombiano sem cobrar nada, por que diz achar interessante conversar com pessoas de outros países. Pausa: Dá para acreditar que esse estudante colombiano se chama Miguel Alberto? Uma pessoa que tem os nomes das duas pessoas mais importantes da minha vida. Engraçado, né? Bom, até hoje nunca vi a cara do dito cujo. Ele não apareceu nas aulas e já avisou que não vai por que tem seminário até as 21 horas na universidade. Engraçado é que o Bebeto trabalha na universidade e nunca ouviu falar de aula até esse horário. Vai entender! Despausa

Mas, voltando o assunto, dia desses a professora veio me perguntar sobre os meus hobbies. Eu com o alemão perfeito expliquei que no momento tenho gostado muito de escrever no meu blog. Expliquei o que é, já que ela nunca tinha ouvido falar. Ela achou um absurdo, uma pagina na internet, onde eu escrevo coisas da minha vida e que outras pessoas leem. Ela se horrorizou mais ainda quando falei que conheci varias amigas através do blog. Acabamos levando a conversa para outra direcao e não falamos mais sobre isso naquele dia.

Na última aula ela disse que queria falar sobre isso novamente. Disse que não pega bem ter esse tipo de hobby, e que se na prova de alemão eles me perguntarem, eu devo dizer que meu hobby é literatura alemã. Me passou o nome de um escritor e me indicou um livro que estou começando a ler hoje. Achei tão engraçado! Até então pensava que a prova era para avaliar minha capacidade de falar e entender alemão e não se sou ou não uma pessoa culta. Sem falar que hobby é uma coisa tão pessoal e tão temporal. Adoro música clássica, adoro ler, adoro cozinhar, mas nesse momento da minha vida o que me dá mais prazer nas minhas horas vagas é mesmo blogar. Quem sabe até no dia da prova meu hobby seja mesmo ler Erich Kästner, né? Tem hora que alemão é um bicho esquisito demais!

Fonte imagem: Google ( http://2.bp.blogspot.com/_wtvaIjbE6ZA/ShhqBD7vhoI/AAAAAAAAAiM/JJQamNfec4U/s1600/bebe-lendo-livro.jpg)

21 de junho de 2010

Sem vontade

Ando sem vontade de blogar, por isso o sumiço daqui e a ausência de comentários nos meus blogs preferidos, apesar de fazer questão de dar uma passadinha diária para saber como estão as coisas. E por isso hoje, mesmo sem vontade, decidi escrever. A gente acaba criando um vinculo com os amigos virtuais e quando um deles deixa de postar por um longo tempo, a gente fica imaginando um monte de coisas ruins, sente falta, se preocupa.

A falta de vontade não tem um motivo especial. Como já escrevi aqui antes, não é fácil conciliar vida de mãe, esposa, dona de casa, estudante; um verdadeiro malabarismo! Muitas vezes acabo me embolando com minhas tarefas e com a falta de organização do meu tempo. Outras vezes opto por atividades que acabam me tirando do computador. Em outros momentos, o tempo sobra e me falta inspiração para escrever. E assim os dias passam e o blog fica de lado.

E para resumir esses dias:
Por aqui tudo vai bem! Hoje começou oficialmente o verão e já vejo sinais que a temperatura vai subir. A cirurgia do Bebeto foi adiada para a próxima semana por causa de uma confusão das secretárias novatas da clínica e também por que a bactéria monstro me derrubou por um período mais longo do que a gente esperava. Miguelzinho continua aprontando muito e enchendo a casa de alegria. Essa semana ele não parou de falar "bó"(bola) assistindo os jogos da copa. Com muita dificuldade e insistência da mãe conseguiu falar "bico" e sempre que olha a minha foto na parede diz "pipi" que a gente ainda não entende o motivo. Lentamente a fala vai se desenvolvendo e até tivemos uma reunião com a professora dele sobre isso, afinal por mais que todo mundo diga que é normal não falar com 2 anos e meio, a gente acaba se preocupando sim, mas isso é assunto para um outro post.

17 de junho de 2010

Trocando de roupa

Essa semana o blogger apareceu com um tanto de novidades para mudar o layout do blog de uma maneira bem fácil, ideal para aquelas pessoas que como eu morrem de vontade de mudar, mas não fazem ideia de por onde começar. Hoje decidi brincar um pouco e acabei mudando as coisas por aqui. Provavelmente vou continuar mudando até encontrar um design que me agrade totalmente, o que não será nada fácil. Então não estranhe se chegar aqui amanha e eu tiver trocado a roupa da minha casinha de novo. E eu confesso: isso é trabalho de quem tem que estudar alemão e tá fugindo dos livros, por pura preguiça e por ter chegado a conclusão de que alemão é realmente uma língua muito difícil.

16 de junho de 2010

Ah se eu pudesse...

Ontem eu queria estar no Brasil mais do que eu já quis em qualquer outro dia comemorativo do ano. Copa do mundo para mim tem um gosto especial e me dá mais saudade da minha casa, família e amigos. Engraçado que a mamãe também sentiu. Antes do jogo ela disse que queria que eu estivesse lá para a gente fazer bagunca, comer pipoca, comemorar os gols. E logo depois do jogo me ligou para saber a minha opinião sobre o time. Nessas horas dá uma pontinha de tristeza, pontinha não, dá um abismo de tristeza dentro da gente, mas é melhor nem pensar, enxugar as lágrimas e seguir em frente, afinal lidar com isso é algo que faz parte da vida de quem mora longe.

Quanto ao jogo, gostei! Apesar da narração sem sal da TV alemã e dos comentários que deixaram claro que eles torcem ao contrário da gente. Gostei da vitória, apesar de alguns dizerem que foi ridículo, que a Coreia do Norte é um time ridículo, que o Dunga é ridículo. Ridículo pra mim é achar que é fácil ganhar de goleada de um time que joga marcando o tempo todo, num frio de 0°, numa estreia de copa do mundo. Claro que eu vi erros no time, principalmente falta de entrosamento dos jogadores, agora isso é coisa que se acerta nos treinos e nos próximos jogos. Pra mim a gente está no caminho certo e não vou deixar de acreditar que vamos chegar lá.

Você já ouviu a nova música do Skank? Fala a verdade, ela não tem a maior cara de copa do mundo e de Brasil? Ah, se eu pudesse... pegava um avião aqui e corria pra ai, pra ir no show do Skank no sábado, assistir o jogo do domingo ouvindo a narração do Galvão Bueno (vai por mim existe coisa muito pior por aqui!), comer pipoca e tomar guaraná. Saudade dói demais!

14 de junho de 2010

O buraco negro

Você já teve a impressão de ter um buraco negro dentro da sua casa onde todos aqueles objetos realmente necessários vivem escondidos? Não sou um exemplo em organização, mas também não sou totalmente desorganizada. Geralmente coloco as coisas onde elas devem ficar, mesmo que estejam amontoadas. Mas basta eu precisar delas para em um piscar de olhos elas fugirem de mim e permanecerem dentro do buraco negro pelo período em que eu insistir em procurá-las.

Chaves, tesouras, termometros, carregadores de bateria, telefones, maquiagens... Nada, absolutamente nada escapa dessa forca gravitacional gigantesca que atua bem aqui no meio da minha casa. E o mais incrível é que quando eu desisto de procurar ou compro objeto semelhante o buraco negro cospe imediatamente o danado que eu tanto precisava e ele aparece naquele lugar óbvio, que eu já revirei várias vezes numa busca frustrada. Isso físico nenhum consegue explicar!Eita buraco danado!

Fonte Imagem: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:BH_LMC.png

11 de junho de 2010

E o dia tão esperado chegou!

E o dia tão esperado chegou! E sejamos sinceros, nem só os apaixonados por futebol esperam o inicio da copa do mundo com expectativa, ansiedade e alegria. É uma festa que realmente contagia, faz a gente vibrar, torcer, rir, chorar. E eu, fanática por futebol, vivo todas essas emocoes ao extremo. Ontem, durante o show de abertura, ainda não recuperada totalmente da bactéria monstro, pulava, dançava e comemorava com certo sacrifício, mas realmente feliz por vivenciar mais uma copa, que para mim tem um gosto diferente. Por ser a primeira que passo fora do Brasil, por ser a primeira vez que torcerei de coração por dois times (sim, a Alemanha também ganhou espaço no coração dessa brasileirinha!), mas acima de tudo por que será realizada na África.

África do Sul, um lugar de um povo que luta, que traz um brilho tão verdadeiro nos olhos, um sorriso tão puro nos lábios. Um lugar que traz uma vibração tão positiva para o mundo, como se gritasse orgulhoso pelas conquistas que traz em sua história. Exemplo de um povo que apesar de todas as diferenças sociais e mazelas que ainda carrega, tem dentro de si uma felicidade sem igual. E se alguém tinha dúvida do quanto nós brasileiros somos africanos, ficou muito claro ontem durante o show que foi de lá que herdamos a melhor parte de nós. E eu me orgulho muito disso!

Fonte Imagem: Google Imagens (http://veja.abril.com.br/blog/copa-2010/files/2009/11/torcida-africa-do-sul.jpg)

8 de junho de 2010

A bactéria monstro

Passando para dizer que está tudo bem, ou melhor que agora está tudo bem. Os últimos dias não foram muito fáceis. Lembram daquela dor de garganta do marido? Pois é, a danada da bactéria começou a sentir os efeitos dos remédios no organismo dele e tratou logo de pular para o organismo mais fraco que estivesse por perto. Resultado: três dias de cama sem conseguir me manter em pé por mais de 5 minutos, sem conseguir comer nada e pedindo a Deus que o antibiótico começasse a fazer efeito logo. Ainda sinto muitas dores na garganta, no ouvido esquerdo e na cabeça. Pelo menos as dores no corpo, febre e a sensação de que o mundo ia acabar já passaram.

A previsão é que amanha eu já consiga levar a vida no ritmo normal: arrumar casa, cozinhar, lavar, passar, não dormir durante o dia. A única coisa que estou evitando ao máximo é ter muito contato com o Miguel, beijá-lo então nem pensar. Mas, como a médica mesmo disse é muito provável que ele seja a próxima vitima, então tenho que correr na frente e tentar impedir que a "bactéria monstro" complete o seu ciclo de terrorismo aqui em casa. E isso significa ficar uns dias sem apertar meu gatinho e colocá-lo no meu colinho. Tarefa difícil, missão para uma super mãe e sua arma poderosa: o amor incondicional.

Fonte: Google imagens (loxosceles.org/crafty/bacterium.html)

2 de junho de 2010

Seis coisas sobre mim

Já faz um tempinho que a Eve me passou essa brincadeira. Devo falar 6 coisas sobre mim que vocês ainda não sabem (tarefa difícil já que falo demais) ou que eu acho que não sabem (tarefa fácil devido a minha memória curta). Então vamos lá.

1- Tenho cabelo vermelho desde os 18 anos. Ao longo desses quase 15 anos, a tonalidade mudou muito: vermelho intenso, castanho avermelhado, borgonha, chocolate, vermelho acobreado. Já me certifiquei de ter usado todas as tonalidades existentes no mercado. E mesmo que eu tente mudar por estar cansada ou por saber o quanto a tinta vermelha resseca o cabelo, sempre volto para a mesma cor. Engraçado que foi por causa do cabelo vermelho que conheci o Bebeto. Ele sempre foi louco para namorar um ruiva e confessou isso para a minha melhor amiga. Menos de um mês depois ela já havia dado uma de cupido e nos apresentado. Claro que foi amor a primeira vista, afinal era a ruiva dos sonhos dele. Mais um motivo para manter a cor do cabelo, não acham? ;)

2-Falo pelos cotovelos. Sou impulsiva demais e quase sempre acabo falando mais do que gostaria e deveria. O bom é que a maturidade ensina muitas coisas pra gente e algumas caracteristicas vão se tornando mais amenas a medida que a gente vai ficando mais velho. Bom, não acho que vou mudar completamente, mas hoje penso um pouco mais para falar do que pensava a dez anos atrás. E quando falo demais e machuco alguém, assim que me arrependo (sempre acontece e normalmente leva alguns minutos) não tenho problema nenhum em pedir desculpas.

3- Eu confesso: meu maior pecado é a gula. Adoro comer e estou sempre inventando moda na cozinha para satisfazer os meus desejos gastronômicos. E só não como mais por causa dos ponteiros da balança. Só essa semana já estive prestes a fazer pudim de laranja com bolo de chocolate, rosquinha de leite condensado, pão de queijo, mas resisti e fiquei só com pãozinho recheado de goiabada, por causa dos tais ponteiros que preciso fazer descer um pouquinho. Agora fala a verdade, comer é ou não é a melhor coisa do mundo?

4-Sou muito emotiva. Choro por qualquer coisa: alegria, tristeza, raiva, saudade. Final de novela e comédia romântica chegam a ser catastróficos para mim. Me lembro que depois de assistir o filme "Antes que o dia termine" chorei duas horas seguidas sem parar e sem conseguir explicar para ninguém o porque de tanto choro. :(

5-Coleciono xícaras. Comecei a colecao a pouco tempo e ainda tenho poucas, mas cada vez que saio volto pra casa com alguma novidade. Um dia desses uma amiga me trouxe de presente uma xícara com o meu nome, por que disse que viu os meus olhos brilhando no dia anterior quando fomos juntas a uma loja. E o pior é que eu estava namorando essa xícara mesmo. :D

6. Meu primeiro emprego de verdade foi num hospital. Trabalhei por mais de 2 anos num pronto atendimento e CTI de um hospital particular. Foi onde aprendi muito sobre mim e sobre os seres humanos; sua fragilidade ao cair numa cama de hospital, independente da quantidade de dinheiro que trazem no bolso, da sua cor de pele, crenças, sonhos. Em menos de 5 dias deitado numa cama de hospital as pessoas fedem e acho isso deveria ser suficiente para pensarmos o quanto não valemos nada e que somos sim todos iguais. Vi pessoas morrerem e tive que aprender a lidar com isso: crianças, velhos, maridos, pais. Foi onde fiz amizades especiais que permanecem até hoje. Foi a época que mais briguei na minha vida. Não aceitava que as pessoas que não tinham convênio não pudessem ser atendidas lá. Batia boca com médicos, dava uma de boba e passava o pessoal do SUS fingindo que eles estavam em estado grave, chorava quando tinha que mandar alguém embora por falta de dinheiro para pagar, batia porta com raiva de médicos mesquinhos. Quantas vezes corri para o banheiro para chorar pelas injustiças e pelas diferenças sociais que presenciei lá. Havia uma pedra lá no jardim do hospital que ficava no alto de um morro, de onde era possível ter uma bela vista de BH. Quantos sonhos sonhei ali sentada naquela pedra junto com a minha melhor amiga. Como fui feliz ali e quanto sou grata por todas as licoes que trago dentro de mim. Nada ali foi em vão e hoje percebo o quanto fui presenteada por esse trabalho e o quanto sinto saudades.

Para terminar preciso passar para 6 pessoas fazerem também. Ah, quer saber uma sétima coisa sobre mim? Adoro responder essas brincadeiras, mas morro de medo de passar pra frente por que tem gente que não gosta. Geralmente não indico ninguém, deixo em aberto para quem quiser fazer. Mas, como a gente precisa mudar de vez em quando e ousar experimentar o novo, vou indicar para 6 amigas blogueiras muito especiais que tem total liberdade de não fazer se não quiserem, ok?

Deixo para:
Lu do Aventuras de uma família na Europa
Lilian do blog Li e quero ler muito mais
Bia do blog De repente 30...
Paloma do blog Mãe de primeira
Flávia do blog O Astronauta
Ma do blog Seguindo a historia

Viagem para a Europa - o que levar?

A família do Bebeto vem de férias para a Europa e estava conversando com a mãe dele sobre o que ela deve trazer na mala. Já reparou com arrumar malas é sempre um pesadelo? No caso dos homens a tarefa é bem mais simples, mas nós mulheres nos preocupamos com vários detalhes e sempre nos deparamos com perguntas do tipo "e se eu precisar dessa roupa aqui e tiver a deixado pra trás?", "será que vai estar calor?", "mas e se estiver muito frio?". Dessa forma a gente acaba levando um monte de coisas desnecessárias. Bom, arrumar malas é sempre uma tarefa complicada, mas isso pode se tornar pior quando a gente não conhece o lugar para onde vai. Por isso a primeira dica que vou deixar para quem vem para a Europa é pesquisar bastante sobre o clima, pois dependendo da estacao do ano, ele é assustadoradamente diferente do clima do Brasil.

Vou começar falando do verão, que é a próxima estacao e quando nossas visitas virao. O verão europeu é quente e algumas cidades bem abafadas. Já ouvi dizer que em alguns lugares chega a se fazer de 35° a 45°. Mas, nem toda cidade é assim. Existem as mais amenas, onde as temperaturas variam de 22° a 25°, sendo que a noite a temperatura pode cair um pouquinho. Então na hora de escolher as roupas para encarar o verão europeu, não tenha medo e escolha roupas leves, essas que você usa normalmente no Brasil. Mas, não deixe de trazer um suéter para usar nas noites mais frias. Se não gostar de suéter, pode optar também um casaquinho leve.

Em segundo lugar, tenha sempre em mente o conforto. Para conhecer a Europa, mesmo que você alugue um carro, vai ter que bater perna o dia todo. Ou seja, não adianta se vestir impecavelmente, colocar aquele salto fino e se contorcer de dor no final do dia. Na minha opinião calca jeans é uma boa pedida por ser confortável e não sujar com tanta facilidade, ou seja, se você vem para passar 15 dias não terá que trazer 15 calcas e lotar sua mala. Abuse das camisetas leves. Cuidado com os saltos, além de não serem confortáveis para uma longa caminhada, se muito finos podem te deixar agarrada nos passeios de algumas cidades. Agora se você é como eu e não abre mão de um, use saltos mais baixos e mais grossos. Uma boa pedida é trazer um tênis confortável para as longas caminhadas. Claro que você também tem a opção de usar sandálias, bailarinas, e havaianas que estão sempre na moda por aqui. Mas, não encha a mala de sapatos. Esse é um dos maiores pecados que a gente comete quando vai arrumar a mala. Lembre-se sempre: menos é mais quando o assunto é bagagem.

E para quem gosta e é mais jovem, vale trazer também um vestido curto, mini-saias e shorts que estão em alta por aqui. Quanto a moda o que posso dizer é: na Europa o chique é ser adepta do conforto, é ser simples, é se sentir bem com o que você está usando. Então não se preocupe em trazer roupas de marca, pois aqui a grande maioria não dá a mínima para isso. As pessoas se importam mais é com a bagagem que você traz dentro de você, uma das coisas mais fascinantes por aqui.

No mais: invista numa boa mala, ela é tão importante quanto o que você vai colocar dentro dela. Uma mala ruim pode arruinar qualquer viagem, palavra de quem já passou por isso. Não esqueça de trazer guarda chuva, afinal nunca se sabe quando vai chover. Leve o mínimo que puder. Uma mala funcional com roupas que possam ser combinadas e usadas mais de uma vez (sendo totalmente transformadas com aqueles acessórios companheiros de todas as mulheres: brincos, colares, pulseiras, lenços) vale mais que uma mala pesada. E o principal: Ser você mesmo é sempre a melhor opção para estar linda e aproveitar as lindas paisagens que vai encontrar por aqui.

Depois volto para falar das outras estacoes. :)

1 de junho de 2010

Dor de garganta, alergia, adenóide e afins


Hoje o marido está de cama. Ontem fomos ao otorrino dele por causa de uma dor de garganta repetitiva que ele tem desde que chegou na Alemanha (quase 4 anos, dá para acreditar?). A gente sempre atribuiu a dor de garganta ao ar mais seco daqui e por mais que ele fosse em médicos todos diziam que tudo estava normal. A mais ou menos um mês ele foi nesse otorrino que descobriu uma bactéria. Ele tomou os antibióticos e comemorou muito por ter a sua garganta normal de novo. A felicidade dele durou 15 dias e a dor voltou. Agora vai começar com novos antibióticos e trocar todas as roupas de cama por anti-alérgicas, por que além da bactéria a pessoa tem alergia a "tudo" ou melhor a "quase tudo", pois estranhamente ele não tem alergia a pelo de cachorro e gato. ;)

Aproveitamos para perguntar o médico sobre o Miguelzinho, que tem roncado muito e está sempre com sintomas de gripe e por que ele tem o DNA propicio para ter problemas respiratórios. Lá em casa só o meu pai não tem nada e no meu caso a alergia se manifesta sempre na pele ao invés de atacar as vias respiratórias. Na família do Bebeto todos tem problema. Não deu outra, né! A genética pesou e o Miguel tem adenóide aumentada. "A adenóide é um tecido esponjoso localizado atrás das narinas e serve, na primeira infância, como uma barreira de proteção contra microorganismos, quando o sistema imunológico da criança ainda não está totalmente formado." Geralmente é tratado com cirurgia, mas hoje em dia existem antibióticos que podem resolver o problema. (Ufa!) A danada pode causar alteração do desenvolvimento crânio-facial (arcada dentária e músculos faciais), respiração ruidosa, ronco, apnéia (parada da respiração durante o sono), voz anasalada, infecções de ouvido e secreção nasal constante, dificuldade de engolir, diminuição do apetite, febre, dor de garganta e mal-estar geral.

O otorrino perguntou a idade do Miguel, quando ele faria 3 anos e já foi logo indicando a cirurgia. E eu fui logo dizendo que não. Radical? A consulta durou 5 minutos contados no relógio, sendo que ele atendeu o Bebeto também. O alemão dele é mais que difícil de entender e ele não leva o menor jeito para tratar as pessoas, é meio grosseirão, como muitos médicos que conheço no Brasil. Além disso, vamos no Brasil em setembro e vou conversar com a otorrino e com a pediatra dele lá no Brasil e prefiro que a cirurgia dele seja feita lá, caso elas julguem necessário. Caso seja possível, prefiro tratar com medicamentos. Caso não seja, já vou preparando o meu coraçãozinho para ver o meu filho tomando anestesia geral e passando por uma cirurgia. Aff!!!

Na semana que vem o marido vai re(operar) o nariz. Me parece que já é a terceira vez e agora esse otorrino quer corrigir a cirurgia feita no Brasil por considerá-la ultrapassada e por ter sido mal feita. Se fosse o meu nariz eu não deixava operar, mas a decisão foi do Bebeto, que apesar do jeitao estranho do médico, sentiu confiança nele, e nesses casos, como disse no post anterior, só a gente com nossa intuição, pode mostrar qual caminho seguir. Então vou estar lá na clínica, com o coração na mão, por mais simples que tudo seja, esperando ele sair com seu nariz novinho em folha e torcendo para que essa operação não seja um treino para a possível futura cirurgia do Miguelzinho. Na verdade meus dedos já estão cruzados para que ele não precise passar por isso nem uma vez na vida, coisas de mãe!

Fonte: Guia do bebê