30 de julho de 2010

PMN - P@%&* medo do novo

Um dia eu senti muito medo. Medo de jogar tudo para o alto e de mudar minha vida completamente. Eu não sabia o que me esperava em seguida. Era uma porta fechada que eu precisava abrir e abrir essa porta significava seguir por um caminho diferente de todos que até então eu tinha conhecido. Significava deixar para trás coisas importantes que faziam parte de mim. Significava deixar minha zona de conforto, ultrapassar barreiras, vencer obstáculos, encarar novos desafios. Não vou negar, eu senti tanto medo que pensei em ficar onde estava. Era cômodo demais.

Mas eu encontrei um amigo que me disse essas palavras ai de baixo, que ficaram guardadas no meu coração e no meu computador para que eu leia e releia sempre que uma nova porta surgir no meu caminho e quando o medo me fizer titubear em abri-la. Não se engane: sempre há portas para atravessar. Você pode escolher abri-las ou não. E cada uma dessas portas te levará a outras, e cada vez que você decidir vencer o medo e ultrapassa-las você será presenteado e enriquecido com novas experiências. Use o medo como protecao, em dose certa ele sempre é bom, mas não deixe ele te impedir de seguir em direcao a novos caminhos. Só assim a gente cresce. Só assim a gente aprende, amadurece e é feliz! A esse grande amigo a minha eterna admiração e gratidão por essas palavras que me trouxeram para o caminho de felicidade que estou trilhando hoje.

"Quando não temos o "ideal", o "planejado", o ambiente que nos dá calma e paz para seguirmos em frente, bem .. . então é quando você se "descobre" ... é o teu desconhecido que te apavora, ... e... apavora você e qualquer um ... você ainda não conhece seus limites nem suas habilidades adormecidas. É foda ... mas é real ... Poucos serão os momentos na nossa vida em que TUDO estará onde tem que estar. E ... é pra isso que nós evoluímos, como pessoas, como indivíduos ...

É nos momentos de medo que você descobre a coragem. Oras! ... Tema sim ... temer te mantém atenta e alerta. É quando a gente baixa a guarda que a gente toma porrada ... então ... Mantenha a guarda alta! ... Liza ... não queria controlar os ventos ... cara ... "venta quando tem que ventar"... oras!

Faça o melhor de si ... dê o seu completo e absoluto ... dê tudo o que você tem e nem sabia que tinha .... seja íntegra ... tenha carácter ... cara ... isso são características que são valorizadas em qualquer lugar do mundo.

Se você "forra o chão" de flores, é porque você tem medo de ver o chão duro. Mas, Liza ... "as pétalas de flores que você espalhar pelo chão não fazem do chão mais mole, só mais bonito"

Cara ... controle sim .. .tudo o que você puder ... faça o melhor de si e dê a chance para "se conhecer" ... ! E ... não pense o contrário.. a gente só se conhece quando a gente depara com o desconhecido.

Liza.. é mais uma chance de crescimento que você tem ... é mais uma chance de você ampliar seu entendimento e ... é mais uma chance que você tem de se aproximar mais da sua paz interior.

Liza ... é assim ... nós acreditamos que existe um lugar dentro de nós ... um lugar onde a paz não teme a guerra ... um lugar onde o silêncio não teme o som ... Cara... é neste lugar que a gente respira feliz ... e ... é nesse lugar que a gente consegue ver a beleza de tudo que existe.

E ... Liza... cada um tem um jeito próprio de chegar a este "lugar" interior.

Sabe ... o medo que a gente tem de fracassar é natural e legítimo, o que nós temos que lutar é contra o pavor que a ignorância cria. Ou seja... você ainda nem viajou pra Alemanha e está tomada pelo pavor do desconhecido ...

Pára e pensa: Nada que te aconteça pode (realmente e de fato) mudar você do que você é ...

Talvez .. te mude de lugar ... para um lugar melhor, para um lugar diferente ... para um lugar que você aprenda o que você ainda não sabe ...

mas ... não pode mudar o que você realmente é ... nada pode ... nada pode a não ser você mesma ... entende?" by Helder von Pozzer

Esse texto faz parte da blogagem coletiva da Glorinha. Na verdade eu nao estava participando, mas me apaixonei pelo tema da blogagem proposta por ela e nao pude me conter. Para saber mais da blogagem clique aqui.

6 comentários:

Dani dutch disse...

OI Liza,
Pra mim o maior medo é de dirigir, parece uma coisa boba né, mas estou na luta tentando me libertar dele. bjuss

Bia disse...

Oi Liza!

Primeiro vim agradecer pelo seu comentário sobre ter filhos lá no blog! :)

E segundo... que texto é esse! Parece que foi escrito para mim tb! hahaha! Morro de medo de fazer uma monte de coisa, pois o maior medo é de que eu não goste depois, ou que não possa mudar... e tudo isso é medo do desconhecido. Do que a gente não tem controle.

bjs

Lúcia Soares disse...

Liza, que texto bom e verdadeiro. É preciso sempre ousar, acreditar na gente, senão o medo paralisa, como falei no meu texto.
Como podemos prever o que nos vem pela frente? Então, ter medo de enfrentar é meio paradoxal.
Sempre fui medrosa e isso travou minha vida.
Manda o link do seu blog pra Glorinha divulgar e fale da sua participação. Você terá um retorno espetacular, conhecerá gente da melhor qualidade.
Beijo!
(continue nas próximas emoções e sentimentos que a Glorinha vai sugerir. É bom demais participar).

Marliborges disse...

Oiiiiiiiii, Liza,
Que texto hein! Nós e os nossos medos. Só nós sabemos de nós. Mas é bem verdade que sempre haverá "... portas para atravessar. Você pode escolher abri-las ou não." Parabéns pelo post. Bjsss

Lucia Cintra disse...

Nossa, adorei as palavras desse texto, eh muito encorajador. Eu ja fui mais medrosa com as coisas. Hoje em dia nao sou. Nem participei desse blog coletivo, pois nao tinha o que escrever, sabe? Acho que o unico medo que eu tenho eh de perder aqueles que eu amo. O resto pode vir que eu encaro bem. bjos

Daniela Pedrinha disse...

Alguns textos calam fundo em nós, p dizem exatamente o que estamos sentindo naquele momento.

Também senti esse medo, também quase desisti, mesmo depois que cheguei aqui pensei... vou voltar, não vou conseguir. Estou em pânico!

Mas fiquei, estou ficando.. e vou agradecendo todos os dias que continuo aqui, que aprendo mais, que me descubro como pessoa, que amplio meus conhecimentos, que alimento minha alma com tanta coisa nova e bela que há para viver.

o MEDO? Continua aqui.. mas tento não deixá-lo ter o controle de tudo, somente ser meu alerta de vez em quando.

Lindo texto. Adorei.