2 de dezembro de 2010

2 de dezembro

Torci muito para que esse dia chegasse. Vou logo explicar. Hoje minha mãe volta ao médico para a retirada dos pontos e avaliação da cirurgia e depois da consulta volta pra casa. Não que eu esteja preocupada, pois aparentemente a recuperação tem sido ótima. Ela tem feito o repouso necessário e apesar de algumas dores que o médico disse serem normais, ela tem passado muito bem. Na verdade minha preocupação era com a saúde mental dela. Ela esteve todos esses dias na casa da minha avó, que está vivendo em pé de guerra com o filho mais velho que mora junto com ela. Resultado: minha mãe fica em meio ao fogo cruzado.

Minha vó é uma mulher marcada por um passado muito triste e acabou se tornando um pouco amarga, dura e reclamona por causa disso. Acaba descontando em cima dos filhos, as frustracoes e arrependimentos que carrega. Isso me faz pensar que muitos de nós vivemos assim. Deixamos o passado influenciar nosso presente e futuro, muitas vezes de uma forma negativa. Esquecemos que o que passou, ficou para trás e não volta mais. Nos preocupamos tanto com os nossos erros e antigas perdas que não vemos passar o tempo e a chance que temos de viver uma vida melhor hoje e de preparar o que virá amanha.

Vivemos achando que nos resta um tempo inesgotável pela frente e desperdiçamos vida o tempo todo, digo "vida de verdade", por que viver por viver, isso não vale a pena. Aproveitar cada pequena coisa, aprender com os erros e não lamentá-los eternamente, aceitar que ninguém ganha ou perde o tempo todo e que ninguém é culpado pelas coisas ruins pelas quais a gente passa. Aceitar que há dias ensolarados e dias cinzentos também e que isso vale para todos. Lamentavelmente alguns passam a vida toda e não aprendem a viver assim.

E você tem deixado as suas marcas do passado te impedirem de seguir em frente ou já descobriu que viver com alegria, liberdade e perdão é muito melhor?

P.S. Recebi o email de uma querida leitora do blog. Transcrevo uma parte aqui como forma de agradecer a ela e a todos pelo carinho e amizade que têm dedicado a mim e por que muitas vezes é o carinho de vocês, por comentários, emails ou ligacoes que me fazem lembrar o quanto ser feliz só depende de mim. Patrícia, seu email chegou junto com o sol! Obrigada por ser essa pessoa tao especial!

"Que Deus te abençoe muito e e te de muita disposição e paz interior mesmo nos dias frios, cinzentos e nevados, na certeza de que tudo o que esta acima e debaixo do céu eh obra de Deus! Que Ele te de porção dobrada do seu amor pra que vc continue sendo sempre uma pessoa feliz e otimista, seja em que estacao estiver!!!"



7 comentários:

Lúcia Soares disse...

Liza, muitas vezes me policio para não cair na tentação de ficar reclamando muito.
Mesmo minhs tarefas sendo muitas no dia a dia, são fáceis de fazer e tenho que fazê-las, quer queira, quer não. Então, reclamar não adianta muito.
Minha mãe também é muito amarga, nunca está feliz, não sorri, (a não ser com determinados netos e bisnetos, mas nem todos) e está eternamente insatisfeita, e isso desde nova, não é agora, que está mais velha (85 anos).
De maneira diferente, a irmã dela, que fêz 80 anos em novembro, e teve uma vida de sofrimento e apertos, está sempre alegre, bem disposta, não usa remédio algum e a vida, mesmo tendo sido apertada, sempre é encarada naturalmente.
Acho que depende mais da gente do que das circunstâncias de vida.
Que bom que sua mãe está boa. Deus seja louvado, mais uma vez!
beijos!

Lucia Cintra disse...

Oi Liza,

sabe que um dia desses me peguei pensando nisso? No porque certas pessoas sao tao duras, tao amargas e fiquei pensando que deve ter uma razao pra isso...

Acho que comecei a pensar nisso por eu mesma me irritar com o Natal. Faz tempo que eu detesto essa epoca do ano e acho que as pessoas ficam ate mais grossas e sem respeito uma com a outra durante o final do ano... E me peguei no "flagra", eu mesma ficando carrancuda por causa disso e ja detestando o Natal.

Ai eu parei pra pensar: essa era uma das epocas que mais gostava quando morava no Brasil! Reunia todo mundo e era uma bagunca de primos e primas, tios, tias, avos, bom demais!

Depois que nos mudamos pra ca, ficamos so nos 5 e passou a ser um pouquinho triste por estarmos longe de todo mundo, mas pelo menos estavamos juntos. Quando minha mae faleceu entao! O Natal acabou pra mim!

Entao, o que quero dizer, eh que eu mais me sinto triste nessa epoca do ano do que irritada com os outros... E me sinto assim por algo ter acontecido.

Mas como voce mesma disse, as coisas tem que ficar no passado e devemos caminhar em frente. Juro que estou tentando mudar isso, Al mesmo diz que quer fazer o Natal ser uma data alegre pra gente, e ele realmente faz sua parte (sempre pendura as luzinhas coloridas que sabe que eu amo, pela casa toda, rs. E eh sempre surpresa!)

bjinhos, Lu

Beth/Lilás disse...

Liza, querida!
Fico feliz por sua mãezinha estar se restabelecendo e fora de perigo.
Tudo vai dar certo no final.
Quanto a essas pessoas amargas e insatisfeitas com a vida, realmente são complicadas de termos ao nosso lado, tenho um pouco de medo delas e procuro sempre não ficar assim, vivo me policiando também, pois sei que muitas vezes reclamamos e é à toa, coisa boba.
um super mega beijo carioca

Anônimo disse...

Oi, Liza!

Ainda to solucando aqui com a surpresa... muito obrigada pela homenagem tao carinhosa!
Agradeco a Papai por sua vida, e por vc fazer diferenca na minha!
Gde bj e um lindo final de semana
Patricia

Eve disse...

Melhoras pra sua mãe e um ótimo aprendizado pra vc! ;)

Ai, pergunta pra refletir, viu?
Vou lá colocar a cara no travesseiro e "chorar" um pouquinho.
Bjs!

Glorinha L de Lion disse...

Oi Liza, obrigada pelo carinho lá no blog...pois é além de nos policiarmos, precisamos trocar a sintonia...muitas vezes é só isso, mudar de canal. Preciso aprender urgente! Que bom que sua mãe está se recuperando. Beijos, bom findi!

Dani dutch disse...

LIza, aprendi a limpar da minha mente as coisas negativas,e as vezes alguma coisa do passado volta na minha cabeça, mas começo repetindo uma frase assim> Deus supre agora todas as minhas necessidades... repeto a frase ate as lembranças ruins irem embora.
E outra coisa que me ajudou muito a esquecer as lembranças indesejaveis foram as caminhadas, bjuss