10 de junho de 2009

Alltag


Depois de um inicio de semana cheio de compromissos domésticos (jeito chique de dizer faxina) e exaustivos exercícios de alemão para uma prova com a qual, na teoria, eu não deveria me preocupar, encontro tempo e animo para escrever. Minha casa está um verdadeiro caos e estudando em outra cidade, passo a maior parte do tempo na escola ou no onibus. Quando chego em casa, posso optar em me ocupar na cozinha, com a trouxa de roupa para passar ou lavar, com os cuidados e travessuras do Miguelzinho ou apenas me entregar a preguiça (essa eh sempre a opção mais tentadora). O meu marido diz que eu estresso demais (ah, deixa eu dizer aqui que ele sempre me ajuda com as tarefas de casa, senão a presteza do rapaz pode desaparecer por não ser reconhecido), mas apesar de não ser neurótica com limpeza, não consigo viver no meio de sujeira e achar tudo natural. Para piorar meu aspirador de pó estragou e a tarefa que já era um saco, conseguiu ficar ainda pior.

Hoje tive uma prova do nível A1. É o nível mais básico do alemão, que não exige muitos conhecimentos de gramática e um conhecimento bem básico de leitura, escrita e fala. Já havia feito essa prova antes de vir para a Alemanha ano passado, como exigência para conseguir o meu visto. A prova de hoje não era uma oficial, mas apenas para que as professoras pudessem avaliar o desempenho da turma e para nos acostumarmos com o tipo de prova, pois em outubro faremos o nível B1. Fui bem na prova, pelo menos acho que sim, e confirmei que minha maior dificuldade ainda eh entender o alemão falado (definitivamente preciso procurar um médico pois não estou escutando direito). Fiquei tão nervosa durante a prova que cheguei à conclusão que se não aprender a me controlar e a confiar mais em mim terei um infarto na próxima (ok, um pouco de exagero só para dar ênfase ao texto).

No mais tudo caminha normalmente: Miguel está adorando cada dia mais a escolinha, agora aprendeu a cantar passando a língua de um lado e outro da boca sem emitir nem um som, me beija o tempo todo (nunca vi menino mais carinhoso e meigo) aumentou a intensidade e frequência das birras, quer andar na rua e subir escadas sozinho e continua me deixando noites e mais noites sem dormir (será que um dia isso melhora? tenho minhas dúvidas!).

Ah, estamos na época das cerejas. Não consigo parar de comer e nem consigo lembrar de nada que seja mais gostoso.

6 comentários:

Anônimo disse...

Que tudo continue "normalmente".
Repita comigo: Amém.
Beijos, Lucia.

Liza Souza disse...

Lu,
eh pra falar o amém para a parte que o Miguel nao dorme também? Voce tem razao, minha amiga! Que tudo continue sempre assim, amém! Saudade dos seus comentarios e de ter noticias suas, viu?
Beijo em voce e nas meninas,
Liza

Lucia Cintra disse...

Deixei uma mensagem proce no meu blog, rs.

Menina, nao estressa tanto assim com provas, pois desse jeito voce erra bobagens mesmo.

E vc sabe que sempre achei o Miguelzinho fofinho demais, ne? Ele parece ser um amor, sendo tao carinhoso assim e quem sabe um dia talvez voce consiga dormir umas 8 horas seguidas...rsrsrs.

bjos, Lu

PS: Sabe que eu nao gosto de cerejas? Eh raro eu nao gostar de alguma fruta, mas nao sou mt fa de cerejas. Aqui esta na epoca tb.

arlete soffiatti disse...

Nossa! Quanta coisa em comum comigo, Liza.
Bjs

neli disse...

ui prova me da arrepios ...
feliz dias dos namorados ..bjus

Ciça Donner disse...

Comprimissos domesticos.... hahahahahahhaha vou adotar essa