28 de abril de 2009

Mae + Dona de casa + Estudante de alemao = Mulher sem tempo


Por mais vontade de postar todos os dias, estou chegando a conclusão que realmente não dá. Ser mãe, dona de casa e estudante de alemão está me tomando todo o tempo e por mais vontade que eu tenha, fica difícil escrever com mais frequência. Sem falar nas surpresas que apareceram na semana passada, tipo o curso de alemão exigido pelo governo para começar na próxima semana.

Ao contrário do que pensei, não estou nada feliz com o curso. Odiei a ideia de fazer um curso que deveria durar 6 meses, mas que vai durar 3 anos. Sem falar que eu deveria entrar no nível 4, então ou eu fico dois anos em casa esperando a turma chegar no meu nível, ou eu fico por 2 anos assistindo as aulas e revendo tudo desde o começo. Não sei se a duração do curso está ligado ao fato de todas terem bebes ou se juntaram um bando de mulheres com dificuldade em aprender a língua e eu, sortuda, cai de paraquedas. Bem que eu achei estranho a mulher do curso me ligar para perguntar se tinha algum problema estar numa turma com mulcumanas. Espero estar enganada e encontrar pessoas já com algum conhecimento, senão to lascada mesmo. Mas, isso só vou saber na próxima semana. E não quero nem pensar que esse curso pode atrapalhar todo o nosso plano de ir para o Brasil no final do ano, senão nem apareço por lá.

O estresse também tem a ver com deixar o Miguel pela primeira vez no jardim de infância. Por mais que eu venha me preparando para ficar longe dele, não me sinto preparada. Cá entre nós, acho que nunca vou estar. Na verdade, esperava essa separação para setembro, já que matriculamos ele na escolinha. Mas eu acompanharia ele nos primeiros dias, semanas ou meses, o tempo que fosse necessário para que ele se adaptasse ao novo ambiente. Admiro aquelas mulheres que conseguem deixar os bebes aos 4 meses para voltar o trabalho, e hoje entendo aquele bando de mulher que acabou de voltar da licença maternidade e que vive chorando pelos cantos. Sei também da importância dessa separação, que o bebe precisa disso para amadurecer e se desenvolver, que logo logo ele vai precisar percorrer caminhos pelos quais eu não poderei ir. Mas, vai falar que eh fácil deixar seu filho pela primeira vez na escolinha, sendo que ele nunca ficou sozinho com ninguém? Amanha vamos lá conhecer o lugar onde ele vai ficar e vermos como ele reage. Espero que seja melhor do que estamos pensando. Ah, a gripe continua aqui acompanhada de uma TPM daquelas.

5 comentários:

Lucia Cintra disse...

Liz, gostei da equacao do titulo, rs.

Olha so, sobre o alemao, nao ajudaria se vc tivesse pessoas alemas mesmo com as quais poderia praticar?

Digo isso, pois nao foi ate eu me envolver completamente com americanos la na faculdade, que realmente consegui aprender direito. La em casa a gente falava Portugues, entao ja viu, ne?

Outra coisa que ajudou mt foi as legendas em ingles qdo assistiamos TV, pois dava pra escutar a pronuncia e ler como se escrevia ao mesmo tempo.

Eh uma opcao que vc liga na configuracao da televisao que eles oferecem aqui pras pessoas surdas, e ajudou mt. Ve se eles tem algo parecido ai.

Bjos

Laura disse...

Ah Liza, eu sei exatamente como é o resultado.... estamos chegando perto de ter que "deixar o bebê", e não é facil.
Agora o que me irrita é ser colocada em salas com nivel abaixo do meu.
Beijos e coragem

Ciça Donner disse...

Ai que dor!! Liz, nao se preocupa... doi, doi mesmo e nao vou mentir pra vc, mas tenha calma, muita calma, até pq vc precisa passar essa tranquilidade a ele. Sao muitos os lacos que unem mae e filho, alguns precisam ser afrouxados para haver um crescimento, mas eles sempre existirao, nao esqueca!!!!

Anônimo disse...

Querida Bete, bem vunda ao mundo das mães. É assim mesmo, tudo doi, mas para ele é super importante.Vc vai ver o desenvolvimento, segurança e principalmente e o pior: a independencia(ahahahahaha so de lembrar de mim tenho que rir).
Fique tranquila, ele vai amar e vc CRESCER.
Bjs,Lucia.

Dona Flor disse...

Que pena que o curso não é pra você, mas procure outro... ou tente encontrar alguma alemã pra treinar com você. A minha eu consegui encontrar pela Rotes Kreuz, e tem me ajudado muito a manter o pouco que aprendi na escola a a desenrolar a língua!

Seu filho é uma coisa fofa!! Beijos