6 de junho de 2012

Meu terceiro menino

Tá vendo esse menino verde ai da foto? Pois é, eu nunca falei dele aqui no blog, mas ele é meu menino também. Vai ao supermercado com a gente, leva o Miguel na escola, almoça junto, dorme no cantinho do Miguel e participa de toda a rotina da casa. Engraçado como as crianças criam amigos imaginários, que no nosso caso acabou se personificando no "Jolinchen". 

Na semana passada, por um erro de comunicacao entre eu, Miguelzinho e o papai, esquecemos o nosso amiguinho verde no restaurante de uma grande loja de móveis. O Miguel queria ir brincar na piscina de bolinha, e eu disso que seria melhor o Jolinchen ficar guardado dentro da mochila para na se perder lá. Enquanto eu e o Miguel fomos entregar as loucas sujas, o papai juntou todas as coisas e nos esperou na saída. Perguntei o Miguel pelo boneco e ele disse que o papai tinha guardado na bolsa, e eu não conferi com o Bebeto. Só nos demos conta da perda, quando já estávamos na estrada de volta para casa.

Foi difícil ver a dor do Miguel lidando com uma grande perda, pois por mais que ele saiba que o Jolinchen é um boneco, o vê também como parte da família. E foi bom ver a felicidade e lágrimas nos olhos dele no reencontro com o seu amigo. Melhor ainda foi ouvir ele dizer que o Jolinchen estava de volta e que o Papai do Céu é bom! Eu também quase chorei, o que não deve servir de referência para as outras mães, por que sou uma manteiga derretida. E por mais que o Bebeto não assuma, afinal os homens são durões, vi nos olhos dele o alivio e a felicidade pelo nosso filho.

Alguns pais se preocupam com essa fase dos amigos imaginarios, mas depois de ler muito sobre o desenvolvimento das crianças, posso afirmar que não existe nada de mais e que isso é super saudável, pois ajuda a criança a liberar os os seus sentimentos, a projetar os seus medos (que são muitos na infância), a lidar com as suas emocoes, a ter mais auto-estima e se tornar mais sociável. Claro que não devemos incentivar e nem permitir que o relacionamento com o imaginário, atrapalhe o relacionamento com outras pessoas. Mas, de forma alguma devemos criticar ou reprimir o mundo de fantasia da criança. 

Você que também já foi criança, vai concordar comigo: não tem fase melhor! Que pena que a gente só sabe isso depois que já passou. Mas, se a gente pensar bem, temos uma maneira de voltar no tempo, aproveitando cada fase dessa época que passa tao rápido. Proporcionar aos nossos filhos uma infância de fantasia e amor, dedicar tempo, carinho, paciência, suporte e intimidade é a porta mágica que nos leva de volta ao melhor tempo das nossas vidas, só que com a consciência necessária de que esse tempo passa quase na velocidade da luz, de que ele é que vai definir todo o resto dos nossos dias e que os o segredo da felicidade na infância (e também em todas as fases da vida) é o amor. Com ele tudo sempre dá certo!

2 comentários:

✿ chica disse...

Lindo e essa fase é um encanto mesmo!!beijos,tudo de bom,chica

Liza disse...

Sabe que aconteceu a mesma coisa com a minha irmã quando era pequena? Meus pais contam até hoje a história da perda da mulher maravilha num restaurante, só que não acharam depois a boneca. Ela vivia grudada com aquilo!

bju