27 de fevereiro de 2012

Tut weh! (Dói)

As vezes eu ouço algumas mães falando que nasceram para ser mães, que a maternidade é tudo de bom e eu me sinto a mãe mais atrapalhada e falha desse mundo. Por que não é todo dia que eu acho maravilhoso ser mãe. Tem dias que tenho vontade de sumir, voltar o tempo alguns anos atrás. Eu sei que se eu pudesse voltar, sabendo tudo o que já passei, todas as dificuldades que passo a cada dia e imaginando o que ainda está por vir, ainda assim, faria as mesmas escolhas; mas isso não apaga o fato de que as vezes fico cansada dessa vida de mãe e me questiono se toda mãe sente a mesma coisa que eu.

É que para ser mãe, é preciso ter pulso firme. É preciso saber dizer não, quando seu coração gostaria de dizer sim. É dizer que o seu filho tem que ficar na escola, mesmo quando ele não quer. É virar as costas e ir embora, quando você só queria abraçá-lo, secando as lágrimas dos seus olhos, não se separando dele nem por um segundo. É enfrentar os seus medos, passar por cima das suas fraquezas, tomar decisões, fazer escolhas difíceis; é vencer os seus limites. E isso dói!

Ter o seu coração batendo fora do seu corpo, numa outra pessoa, da qual você não tem o controle, é a melhor definição de maternidade que existe. Quando você se transforma em mãe, você deixa de ser a sua prioridade. Nada mais que você faz é para você. Tudo é sempre pelos filhos. E isso não é fácil! Talvez, por esse motivo, a vontade de fugir dessa situação permeie a mente das verdadeiras mães. Daquelas que se dão inteiramente aos filhos.

Eu acabei chegando a conclusão, de que por mais erros que eu cometa, por mais que as vezes eu me sinta cansada, por mais que em alguns momentos eu queira fugir, eu sou uma boa mãe. Eu me dedico o tempo todo. Não importa se eu estou ou se não estou bem, eu sempre estou aqui para eles, eu sempre estou de pé por eles. Eu amo tanto, tanto, tanto, que as vezes penso que tanto amor não pode caber dentro de uma pessoa só. E amar assim dói!

Mas, ainda maior que a dor, é a recompensa. E a recompensa vem a cada momento, fortalecendo a gente nos momentos de fraqueza e mostrando que a gente consegue, por mais difícil que a caminhada seja. Afinal, ser mãe também é descobrir a força que cada uma de nós tem dentro de si; força que é ativada por Deus no momento em que começamos a gerar um milagre dentro de nós.

3 comentários:

✿ chica disse...

Lindo teu texto, bem vindo do coração de uma mãe! beijos,chica e tuuudo de bom!

Anônimo disse...

Entendo bem isso... doi demais sim, mas vale muito a pena.
Ter que ser muito corajosa pra reconhecer isso, viu!
Parabens pela coragem e te admiro por ser tao verdadeira!
Gde bj,
Patricia

meire disse...

Fique tranquila você é uma ótima mãe. Ser mãe é um presente de Deus. Mas todas sabemos que o dia a dia é complicado.Educar/dar conselho/ter paciência e ai vai. Outro dia fui para a suíte fechei a porta e chorei muito de cansaço/estresse/de achar que não sou uma boa mãe, mesmo os meus filhos de 6 anos e 15 anos falarem que sou uma ótima mãe. Tenha calma um dia tudo passa.