5 de novembro de 2010

A primeira vez


"Mãe não tem limite, é tempo sem hora, luz que não apaga quando sopra o vento e chuva desaba, veludo escondido na pele enrugada, água pura, ar puro, puro pensamento."
Carlos Drummond de Andrade

O Miguelzinho sempre dormiu comigo. Primeiro por que passamos os 6 primeiros meses dele no Brasil e a cama era grande demais para eu dormir sozinha. Depois por que nosso apartamento só tinha um quarto e a cama dele ficava do lado da nossa(ainda assim ele queria dormir junto com a gente). Contrariando diversas opiniões, inclusive a da pediatra dele, pratiquei a cama compartilhada nos quase 3 anos de vida dele e não acho que isso tenha atrapalhado em nada o meu casamento, nem o desenvolvimento do Miguel. Claro que dividir a cama com uma criança espaçosa feito ele não é nada confortável, mas tem as vantagens de não ter que levantar a noite para dar a mamadeira ou socorrer a criança por causa de um pesadelo.

Agora sinto que ele já está maduro o suficiente para sair do nosso quarto e como ele tem o sono muito leve percebi que minhas inúmeras idas ao banheiro no meio da madrugada (coisas de grávida) estavam atrapalhando o sono dele. Ontem foi a primeira vez que ele dormiu sozinho no quarto dele. Dormiu a noite inteira até às 05:45 quando resmungou e eu fui deitar com ele por alguns minutos até ele pegar de novo no sono. Para ele, a primeira vez parece ter sido ótima e eu fico feliz e mais segura de que estou fazendo a coisa certa, no momento certo. Já para mim, a noite não foi tão fácil assim. Bicho estranho é mãe! A gente se preocupa sempre, levanta para ver se a criança está com frio, se caiu da cama, sem falar nas coisas engraçadas que passam pela cabeça da gente.

Ainda acho que filho devia vir com manual de instrucoes, facilitando as coisas para gente e mostrando o caminho certo a seguir. A verdade é que o manual, para funcionar, deveria ser personalizado, afinal cada criança é diferente, cada uma tem seu tempo e nem tudo que serve para uma, serve para outra. Nessas horas o que vale é a sensibilidade e a intuição de mãe. Não valem livros, nem opiniões alheias. Claro que compartilhar experiências faz bem, mas é o coração da gente que nos faz escolher a coisa certa. Algumas escolhas que eu fiz com o Miguel foram muito criticadas, outras elogiadas, mas foram todas pensadas, repensadas, ponderadas. Algumas vezes eu errei, outras acertei. Se pudesse voltar o tempo, faria algumas coisas de forma diferente, mas a maioria eu faria igual. Sempre que errei com ele, errei com amor e por amor; errei tentando acertar. No final das contas não é isso que importa? E cá entre nós, tem alguém nesse mundo que sempre acerta?

10 comentários:

Ma disse...

Acho que vc está sofrendo mais do que ele :) Bjs

Eve disse...

Vc já está com saudade, admita! rsrs
Mas, é assim, cada um tem seu tempo e a gente precisa respeitar.
Bjs!

arlete soffiatti disse...

A Lara dormiu no nosso quarto dos 6 meses aos mais ou menos 2 anos, mas no berço dela porque a nossa cama é brasileira e estreitinha. Não teve problema nenhum para fazer a transição para o quarto dela e nem do berço para a cama com proteção e desta para a sem proteção. Caiu da cama uma vez só e continuou dormindo. Mas a gente tem que ficar com ela no quarto até ela pegar em sono profundo. E esse costume não vai dar pra tirar agora, porque o bebe já está pra chegar e ela pode achar que é por causa dele. Então, o negócio é dividir a tarefa.
Bjs

Lúcia Soares disse...

Liza, a gente erra, acerta, erra, acerta...Não sabemos tudo e vamos aprendendo junto com o bebê. Saber até podemos saber, mas temos que nos adaptar ao bebê, ele é quem manda...Com jeitinho acerta-se o passo. Agora, com o segundo, vai ver como tudo será diferente. (quase tudo, pois também dependerá dele...).rsrsr

Beijos, filha do coração. Obrigada por estar sempre comigo.
Um amigo é uma jois sem preço. Mais que preciosa.
Beijos, muitos, com amor.

lucia disse...

BETE, isso é só o começo. Qto mais eles crescem mais dúvidas temos. Mas tenha certeza que o coração de mãe só quer acertar. Siga sempre o seu.
Bjs.

Yas disse...

Meus pais sempre me deixaram no meu quarto, desde que eu nasci, mas depois que eu cresci, sempre ia dormir na cama deles e depois meu pai me levava no colo pra minha cama. Depois que eu cresci mais continuei fazendo o mesmo, só que aí meu pai me acorda e eu vou sozinha. Isso quando ele não fica com peninha e me deixa dormir com a minha mãe. Eu amoooooo dormir com ela, não adianta hahaha
bjos

Mikelli disse...

concordo com o manual de instrucoes! hehe mas acho que desde que a gente acerte ou "erre" com amor, nao tem problema. ;) bjs!

Anônimo disse...

Oi, Liza!
Seu garotinho ta crescendo!!!
Uma senhora muito simples, porem muito sabia me disse uma coisa que jamais esqueci, de que cada crianca tem sua " prontidao", isto e, qdo ela estiver pronta, vai mudar de fase sem qquer pressao, como andar, tirar a fralda, dormir sozinho...
Parabens Miguel!!! E que venha a proxima fase!
Fiquem com Deus!!!
Patricia Haro Sack

PS: E ai, como andam os enjoos, cansaco, prisao de ventre, etc, etc, etc? Fico na torcida pra que todos esses incomodos passem l,ogo ou que vc nem os tenha...

Jane disse...

Isso me lembra a minha amiga Ju sendo criticada por socorrer a filhinha dela toda noite quando ela chorava, até que, em algum momento, ela levou a baby para o quarto com ela. Eu lembro de conversarmos sobre isso e nossa conclusão foi a mesma: psicólogos e pedagogos de plantão que me perdoem, mas nada - absolutamente nada - supera o instinto materno. Se não fosse assim, índias não criariam filhos guerreiros, mesmo tendo-os domingo com elas por um bom tempo na infância, contrariando todas as "regras"!

Nilce disse...

Realmente Liza. Filho não vem com manual e mesmo errando vamos acertando, pode ter certeza disso.
Vou te contar um segredo: eu amava dormir com meus pais também. Meu pai fingia que não achava graça para que eu não acostumasse, pois eu tinha meu próprio quarto.
Mas minha mãe me escondia do lado dela. No inverno ela fazia conchinha comigo e eu dormia tranquilamente.
E isso foi até os meus 5 ou 6 anos quando meu pai comprou um jogo de quarto lindo e eu não voltei mais. Só quando tinha dor de ouvido, ou fingia que tinha.rsrs
Os meus eu colocava desde bebês para dormir nos seus quartos, então quem não dormia era eu.
Mãe é assim mesmo querida.
Está tudo bem com nossa nova gravidinha? Não esqueça de trazer cada ultrassom que fizer.

Bjs no coração!

Nilce