10 de novembro de 2010

Deixando criança ser criança


Criança corre pela casa, pisa com passos firmes e barulhentos, dança, canta, grita. Criança enxerga a pureza em todas as coisas e não tem noção do que prejudica o outro. Faz o que tem vontade e aproveita cada segundo como se não tivesse outros depois. O Miguel não é diferente. Uma criança ativa, alegre, que passa horas brincando com seus carrinhos, que arrisca uns passinhos de dança quando escuta uma música, corre em círculos até cair tonto no chão. As vezes ele estrapola na bagunca e nessa hora eu chamo atenção, mas sempre com o cuidado de deixá-lo vivenciar a infância como criança e de aproveitar ao máximo cada segundo dessa fase que considero a melhor da vida.

Ontem recebi a visita da vizinha de baixo que veio reclamar do barulho das pisadas dele. Eu disse que tentaria controlar o barulho, mas que criança é criança. Já tinha questionado outra vizinha sobre quem morava no apartamento de baixo e ela disse que se tratava de um pai divorciado que recebia a visita da filha a cada 15 dias e que ele sabia que se tratava de um prédio com crianças e que não poderia reclamar do barulho do Miguel, ainda mais por ter uma filha pequena também. Mas, parece que a namorada dele pensa diferente. Uma pena pra ela que não tem filhos e que perdeu ao longo da vida as doces lembranças da sua infância.

A primeira coisa que fiz foi pesquisar sobre "Kindergeräuche"(barulhos causados por crianças) e mandar um email para a Arlete que já tinha escrito sobre a implicância de um vizinho alemão com o barulho da filha dela. Existe um período do dia, o Ruhezeit, que geralmente vai de 22 às 06 e das 13 as 15 horas, e nesse período pede-se que se faca silencio, se possível. Claro que a regra não pode obrigar uma criança a ficar quieta principalmente se ela tem menos de 7 anos. Cada prédio tem também o seu Hausordnung, um livro com as regras do prédio, que vou ler de cabo a rabo pra ver se fala algo sobre isso. Ah, tem os barulhos abusivos como jogar bola dentro do prédio, andar de bobbycar, e esses são mesmos proibidos.

O Bebeto diz que não vale a pena brigar com vizinho, eu também acho, mas conhecer os seus direitos e saber se impor é necessário. Não vou permitir que ninguém tire os meus direitos por que sou estrangeira e não falo bem alemão, principalmente se isso envolver o bem estar dos meus filhos. Vou me preparar bem para saber defender o direito de criança ser criança, afinal isso é peca essencial para o desenvolvimento físico e psicológico de uma pessoa e garantia de que o mundo tenha adultos felizes, leves, flexíveis e por que não dizer menos implicantes como a minha vizinha.

13 comentários:

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

isso é complicado!
na verdade acho que vc infelizmente encontrou é um vizinho chato mesmo. daqueles que procuram qualquer coisinha pra implicar.

se ela reclamar de novo, nem responda, só pergunte o que vc disse: vc nunca foi criança? nunca brincou na sua casa?

e nem dê bola pra essa tonta.
bjs e bom dia!

Eve disse...

Ai, ai, tinha que aparecer um vizinho para estragar a brincadeira. mas, flor, quando seu apto estiver cheio de móveis, a acústica diminui e os vizinhos se incomodaram menos. colocar tapate tb é uma solução.
bjs!

Lu disse...

Liza
a Mariana e o Miguel tem alguma coisa em comum: o tapete do quarto. By Ikea né...
bjs
Lu

Ma disse...

Ah, Liza, aqui quem reclamou com a vizinha de cima fui eu porque o garoto joga bola na minha cabeça seja qual for a hora da noite e incomoda muito mesmo. Acho que durante o dia não dá pra evitar o barulho , mas depois da 22h tem que mandar a criança sossegar um pouco pra não incomodar os outros. É o que vc falou, dentro do horário não pode reclamar. Eu moro no térreo, ainda bem, mas sofro com o de cima :) Bjs

lucia disse...

Bete, faça isso mesmo, tudo que estiver dentro das normas. Sei como vc é correta e não fará tudo para uma boa convivência.
Só uma dúvida: ela mora aí? Pq se for "visita" nem pode reclamar.
Bjs

Lúcia Soares disse...

Complicado mesmo, Liza.
Porque vizinho chato é chato 24 horas! Se duvidar, vai implicar até do som de uma música baixinho que estiver ouvindo. Por isso tenho "horror" a apartamento, embora esteja querendo ir para um.
Mas saiba tudo sobre as leis, sim, para ter como replicar. Não pense que seja porque é estrangeira, não. Gente aborrecida se aborrece com qualquer pessoa.
Vá na lei e fique firme!
Miguelzinho tem seus direitos, não só ela!
beijo!

Ciça Donner disse...

Liza faz assim: quando afilha dele estiver ai (fica de butuca mesmo) dá um jeito de chamar ela pra brincar com o Miguel ou os dois se encontrarem na area comum do predio. Tenta (heheheh forca) uma amizade entre eles. E quando a pequena tiver no teu apartamento: deixa os dois soltarem as feras ahahhahahaha

Macaco só olha o rabo alheio!

Beth/Lilás disse...

Ah, pra variar tinha que aparecer algum chato na parada!
Bem, eu acho que você pode amenizar os impactos com tapetes ou comprando meias anti derrapantes e 'tentar' fazê-lo entender que tais horas ele terá que se conter um pouquinho.
Mas, dá uma pena, dá uma vontade de soltar o bichinho para ser alegre o dia inteiro, né?
beijão carioca

Nilce disse...

Olha Liza, acho que esse teu vizinho e a namorada dele são uns chatos.
Aqui no meu prédio é bola, roller, e até skate e ninguém implica não.
Estando dentro do horário, a única coisa que o pessoal não gosta mesmo, é música alta demais e graças a Deus é só uma vizinha, que já acorda com o som no último e cantando junto. Aff!
O que mais comentamos aqui em casa é fato da alegria das crianças brincando quando ouvimos.
Tem coisa melhor do que riso de criança? Eu adoro.
Quando é adulto que abusa ainda vá, ou criança mal educada gritando coisa feia. Agora brincando, só vizinho "xarope" pra implicar.
Criança tem que ser criança.

Bjs no coração!

Nilce

Anônimo disse...

Oi, Liza!

Menina, sempre tem que ter uma chatinha pra implicar, neh?!? Parece que nunca foi crianca?!?!?!
Nao quero que vc declare guerra, mas meu marido sempre me diz que, em situacoes como essa, a gente tem que dar uma "rasgadinha" pra impor respeito, ai eles ficam uma seda e a barreira do respeito eh construida!!!
Mantenha a calma, verifique todo o regramento e a oportunidade aparecera pra vc se posicionar de maneira firme, direta e legitima!
Bom final de semana!!!
Bjs
Patricia Haro Sack

lucia disse...

Ops! Desculpe-me saiu um não fora do lugar no meu comentário.

arlete soffiatti disse...

Nós optamos por morar no primeiro andar pra evitar problemas e mesmo assim veio o vizinho do terceiro andar reclamar do barulho da Lara. Da proxima vez, tenha um cartão de um advogado na mão e não fale nada, só entregue o cartão para ela. Eles param na hora de encher o saco.
Bjs

arlete soffiatti disse...

Ah, e não tente contraargumentar. Só dá mais irritação.