28 de novembro de 2010

Curtas do fim de semana

- Agora é oficial! Estamos embarcando para o Brasil no final de janeiro. Passagens compradas, lista de desejos já começada, planos, planos e mais planos. Contagem regressiva. Pra mim não há momento mais feliz no ano...

- Neve, neve e mais neve por aqui. Além de temperaturas negativas e céu nublado. Não sei como alguém encontra ânimo pra ir pra rua nesse frio de lascar. Ok, eu também vou pra rua, mas ninguém aguenta o meu mau-humor.

-Comecei a comprar roupinhas de bebê para levar para o meu/minha sobrinho(a) em janeiro. Fiquei parecendo criança em loja de brinquedos e sai de lá com a sensação de estar pisando em nuvens. Sem falar que fico o dia todo babando nas roupinhas. Já pensou quando chegar a hora de fazer o enxoval do meu neném?

- Por falar em loja de brinquedos, ontem o Papai e a Mamãe Noel compraram o presente do Miguel. Eles até tentaram fugir do óbvio, mas não teve jeito, já que a maior diversão do momento para o pequeno, é perder horas nas lojas olhando os trenzinhos. Agora o difícil vai ser a Mamãe Noel esperar o dia de entregar pra ele. Ainda bem que o Papai Noel é uma pessoa mais equilibrada!

-Apesar do meu ódio pela neve e pelo caos que vira a vida da gente com a chegada dela, tenho que reconhecer que a cidade está linda toda branquinha. Principalmente com a decoração de natal e a feira de natal no centro da cidade. A sensação que eu tenho é que estou dentro de um filme daqueles que sempre passam no final do ano.

25 de novembro de 2010

4 meses, oder?

Ontem recebemos a visita de um casal de amigos. Ele mexicano, ela alemã. Amigos extremamente queridos, com quem pretendemos ter mais contato, já que agora moramos mais perto. Foi uma noite agradável e deliciosa, regada com quitutes brasileiros e vinho para os não-grávidos. Mas, o auge da noite e que precisa ser registrado aqui foi a total sinceridade do convidado ao olhar para a minha barriga.

-Quantos meses?
-Dois.

-Dois? Parece barriga de 4.


Claro que ele levou uma cotovelada da namorada, que tentou retrucar que minha barriga nem está tão grande assim, que na segunda gravidez a barriga cresce mais rápido. Tadinho, ficou mais vermelho que pimentão. Eu não liguei, afinal a barriga tá grande mesmo e na gravidez do Miguel foi a mesma coisa. Há quem afirmava que não podia ter um menino só e já tem quem cogite que agora o segundo bebê está escondido atrás do outro e que por isso não deu para ver no ultrassom. E para ninguém dizer que estou escondendo a barriga, olha ela ai em baixo.


23 de novembro de 2010

Chateada

Um dos motivos que mais me deixou feliz quando nos mudamos para essa nova cidade, foi ser vizinha de uma das minhas melhores amigas do curso de alemão. Ela me visitava sempre em Furtwangen e sempre tivemos muita afinidade. Morando a apenas um quarteirão, pensei que teria alguém por perto para conversar, desabafar, relaxar, rir. Me enganei! Há duas semanas ela veio fazer uma visita e se mostrou muito distante, áspera, amarga e, para a minha surpresa, chateada comigo e com todas as outras grávidas do mundo.

Ela teve um aborto espontâneo há 6 meses e eu entendo que seja difícil lidar com isso. Também entendo que seja difícil ver todas as amigas mais próximas grávidas do segundo filho. Mas, me diz: eu tenho culpa? Ela me disse que não aguenta mais atender o telefone e ouvir alguém dizer que está grávida. Também me disse que eu não deveria me preocupar com o pré-natal já que posso perder o bebê em qualquer tempo dos 3 primeiros meses. Comentários duros e amargos que eu tentei contornar, levando o assunto para outro lado, tentando fazer ela enxergar que está tendo uma super chance dando aula na universidade aqui perto e que tudo acontece no momento certo e no tempo de Deus.

Ela não me procurou mais, eu também não a procurei e nem estou com vontade. O Bebeto acha que devia ligar, mas estou numa fase que não quero estar cercada de pessoas negativas. Sempre respeito as pessoas que estão ao meu redor e quero ser respeitada também. Sabe, as pessoas tem mania de culpar o mundo por tudo de ruim que acontece e não conseguem enxergar nada de bom. Tem mania de achar que tudo é cor de rosa para o outro e fazem questão de esquecer que todo mundo tem problema.

Eu poderia estar amarga por não poder trabalhar, por ter que me dedicar ainda um tempo aos meus filhos antes de dar continuidade aos meus planos profissionais. Poderia estar amarga por viver longe da minha família, por não ter um carro do ano, por não passar os fins de semana em Paris como ela faz, mas estou feliz pois sei que a vida é feita de momentos e que essa é a hora certa para me dedicar a chegada do meu filho e me dedicar ao Miguelzinho ajudando ele a se desenvolver e a vencer suas dificuldades. Nem por isso me entristeço pelas conquistas de ninguém. Fico feliz quando vejo que cada um caminha na estrada que escolhe e que com muita dedicação e esforço, cada um recebe a recompensa pelos seus sacrificios.

Acho que estou magoada, decepcionada, chateada. Acho que queria que o mundo tivesse mais pessoas como eu. Não que eu seja melhor, pois reconheço que sou um pequeno grão de areia e tudo o que sou e que tenho é dom gratuito de Deus. Bom, vamos ver se ela melhora no decorrer dos dias, e vamos ver se mudo de ideia e tento me aproximar mais uma vez.

20 de novembro de 2010

Cirurgia

Minha mãe foi operada ontem. Ela estava com um sério problema de circulação nas pernas e como demorou muito para ela procurar ajuda, não houve como reverter o quadro com o uso de medicamentos. Graças a Deus correu tudo bem, ela já recebeu alta e está indo para a casa da minha avó descansar um pouco e fazer alguns dias de repouso, necessários para que ela se recupere bem.

Claro que como filha o que eu mais queria era estar ao lado dela nesse momento, dando carinho e cuidando dela como ela sempre cuidou de mim quando precisei. Mas, chegamos a conclusão que ir para o Brasil agora só atrapalharia a recuperação dela, que não ia querer saber de repouso se o neto estivesse lá. Não é fácil estar longe, mas nesses momentos a gente acaba aprendendo que por mais que queira não pode fazer absolutamente nada. O que está nas nossas mãos é pedir a Deus e confiar no Seu cuidado e amor e isso podemos fazer em qualquer lugar, mesmo em continentes diferentes.

Agradeço o apoio dos amigos que mesmo distantes se colocaram a disposição para ajudar no que ela precisasse. Agradeço as palavras de carinho, os emails, os comentários, as oracoes. Nada dá mais forca para alguém atravessar um momento difícil do que a certeza que nunca está sozinho.

"Bom é render graças ao Senhor, e cantar louvores ao teu nome, ó Altíssimo, anunciar de manhã a tua benignidade, e à noite a tua fidelidade." Salmos 92:1-2

19 de novembro de 2010

Motivos da minha tranquilidade

Hoje é um dia especial pra mim e para a minha família. Eu poderia estar ansiosa, aflita, mas estou confiante e certa que todas as coisas estão diante do altar de Deus. Não é o melhor lugar onde poderiam estar? Sabe, nem tudo é fácil e a gente passa por lutas e por momentos difíceis o tempo todo, mas o que faz diferença é não lutar sozinho, é se colocar diante da fonte inesgotável de amor, paz, misericordia e se encher de certeza que Ele é quem nos carrega no colo para que possamos atravessar os desertos que surgem. É nessa fonte que nunca se esgota, que se renova a cada manha que encontro a certeza de que hoje tudo ocorrerá segundo a boa e perfeita vontade de Deus. Amém! Eis alguns dos motivos da tranquilidade que sinto:

- Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus. Rm 8:28

- O coração do homem pode traçar planos mas a resposta certa dos lábios vem de Deus. Pv 16:1

- Tudo posso naquele que me fortalece. Fl 4:13

-Fiel é o Senhor. 1 Ts 3:3

- As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim, se renovam a cada manha; grande é a tua fidelidade. Lm 3:22-23

- Os planos de Deus não podem ser frustrados. Jó 42:2

- O que é impossível para o homem é possível para Deus. Mc 10:27

- Ele luta as nossas lutas e a dos nossos filhos e nos salva. Is 49:25

-Ele suprirá todas as nossas necessidades segundo as suas riquezas na glória em Cristo Jesus. Fl 4:19

-Ele é sol e escudo; dará graça e glória; não negará bem algum aos que andam em retidao. Sl 84:11

-Ele conservará em paz aquele cuja mente está firme nele. Is 26:3

-Ele enxugará dos nossos olhos toda lágrima e não haverá mais morte, nem pranto, nem lamento, nem dor. Ap 21:3-4

17 de novembro de 2010

Dois bebês

Aposto que você está super curioso por causa do titulo da postagem e já está tentando descobrir se estou grávida de gêmeos, não é? O titulo ambíguo pode dar essa impressão, mas apesar de estar esperando por dois bebês no ano que vem, não estou esperando gêmeos. Há 15 dias descobrimos que a esposa do meu irmão também está grávida e com apenas 2 semanas de diferença da minha gravidez. Ou seja, vamos ter nenem na família em junho e em julho também. Estava me coçanco para contar aqui, mas dei um tempo para que eles contassem para a família e se acostumassem com a noticia que os pegou de surpresa.

Eu também precisei me acostumar. Apesar da felicidade que eu senti em ser titia, me preocupei um pouco já que meu irmão e a esposa estão desempregados e com uma condição financeira nada favorável para a chegada de um filho. Mas, como num passe de mágica me transportei para a época da gravidez do Miguelzinho. O Bebeto ganhava uma bolsa de mestrado de 460 euros para sustentar nós 2 e ainda pagar o meu pré-natal. Quem vive aqui sabe que isso é impossível a não ser que seja um milagre.

E o milagre foi tão grande que não nos faltou nada: fraldas, roupinhas, banheira, quartinho completo, tudo do jeitinho que uma mãe deseja ter. O que não ganhamos, pegamos emprestado. Tenho certeza que o mesmo Deus que cuidou de tudo naquela época, vai cuidar agora também, dando ao meu irmão as melhores condicoes para receber essa criança que já é muito amada e corujada por essa titia aqui. Ah, já separei uma mala só de presentes para meu sobrinho(a) amado(a) e estou fazendo uma listinha de todas as coisinhas que quero levar para ele(a) na nossa viagem ao Brasil.

Melhor do que ser mamãe de novo, é ser titia e mamãe ao mesmo tempo! :-)

"Aquele que não poupou a seu próprio Filho, mas por todos nós o entregou, como não nos dará também com ele todas as coisas?" Rm. 8:32

Mea culpa

Eu levei vários puxões de orelha por causa do último post. Como disse uma amiga minha, talvez tenha que arrumar um médico para tratar das orelhas, já que não cuidei direito da gripe. Na verdade, estou melhor desde a segunda feira, mas passei esses dias curtindo o marido que tirou uma mini férias para descansar e curtir a nossa casinha nova. Foi bom, mas o tempo passa rápido demais quando a gente quer que ele pare e voltar a rotina depois de quatro dias grudados não é fácil.

Tenho tanta coisa pra contar, mas não sei por onde começar e para ser sincera estou andando sem inspiração para escrever. Não sei se é pela energia sem fim do Miguel que tem me cansado bastante e/ou se tem alguém aqui dentro sugando o pouco ânimo que me resta. A verdade é que meu corpo pede repouso e o sono me leva a qualquer hora do dia, em qualquer lugar que eu esteja. Agora sou sempre a primeira a dormir e a última a acordar, sem falar que as vezes caio no sono no meio do dia e sou acordada por um carinho ou por uma "arte" do Miguelzinho.

Então eu assumo: Mea culpa! Não precisam se preocupar, nem puxar as minhas orelhas de novo. O sumiço tem a ver com o inicio da gravidez, com a chegada do frio, com as férias do Bebeto , a falta de inspiração... A gripe já se foi, sem deixar nem sequer resquício e eu estou me cuidando, me alimentando, tomando vitaminas e fazendo tudo que uma mãe grávida precisa fazer. Com o passar dos dias vou tentar recuperar o ânimo e venho correndo contar as novidades que não são poucas.

14 de novembro de 2010

De cama

Passei rapidinho só para justificar o sumiço. Estou de cama há três dias com uma gripe daquelas. Na verdade eu achei que fosse uma gripe, mas começo a achar que é uma crise de sinusite por que tenho dor de cabeça constante e que não passa nem com Paracetamol, além de muita dor na face. Se não melhorar até amanha vou procurar um médico, afinal não posso me dar o luxo de não me cuidar direitinho agora, né?

Assim que eu estiver melhor vou responder os inúmeros emails atrasados (sorry!) e visitar a casinha de vocês. Que tenhamos uma semana abençoada e de grandes vitórias!

11 de novembro de 2010

Nosso primeiro encontro

Hoje vimos nosso(a) pequeno(a) pela primeira vez. Tao pequenino(a)! Está medindo 1,52 cm e está na sétima semana. A data provável para a chegada dele (a) é 25 de junho. Fiz alguns exames de sangue e urina e aparentemente está tudo bem. A médica conversou muito conosco, explicou como funciona o pré-natal aqui na Alemanha, mostrou que muitos dos exames que são considerados importantes, não tem cobertura do seguro. Por exemplo a translucencia nucal, que serve para detectar síndrome de down e outras doenças de má formação, exame para detectar a toxoplasmose e diabetes. A gestante escolhe se quer fazer os exames e tem que pagar por eles. Ela também tirou minhas dúvidas e me tranquilizou muito com sua simpatia, competência e seu alemão totalmente entendivel. Sai de lá com a sensação de ter encontrado a ginecologista certa para me acompanhar durante a gravidez.

Só lamento de não ter filmado a reacao do Miguel ao ver o(a) irmaozinho(a) dentro da barriga da mamãe. Era nítida a alegria dele. Nem preciso falar da cara de coruja do pai, né? Foi um momento especial, de muita felicidade e de certeza de que Deus está no controle das nossas vidas e que tem nos abençoado abundantemente. Uma vida que nasce e cresce dentro da gente é um milagre; um presente de Deus. Por mais que eu já tenha vivido isso, me emociono de ver esse milagre acontecendo novamente dentro de mim e por mais que eu procure, não consigo descrever em palavras a felicidade e gratidão que sinto. Nossa próxima consulta é no inicio de dezembro, quando saio também do primeiro trimestre. Não vejo a hora de ver a carinha dele (a) de novo.

"Pois tu formaste os meus rins; entreteceste-me no ventre de minha mãe. Eu te louvarei, porque de um modo tão admirável e maravilhoso fui formado; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem." Salmo 139: 13-14

10 de novembro de 2010

Deixando criança ser criança


Criança corre pela casa, pisa com passos firmes e barulhentos, dança, canta, grita. Criança enxerga a pureza em todas as coisas e não tem noção do que prejudica o outro. Faz o que tem vontade e aproveita cada segundo como se não tivesse outros depois. O Miguel não é diferente. Uma criança ativa, alegre, que passa horas brincando com seus carrinhos, que arrisca uns passinhos de dança quando escuta uma música, corre em círculos até cair tonto no chão. As vezes ele estrapola na bagunca e nessa hora eu chamo atenção, mas sempre com o cuidado de deixá-lo vivenciar a infância como criança e de aproveitar ao máximo cada segundo dessa fase que considero a melhor da vida.

Ontem recebi a visita da vizinha de baixo que veio reclamar do barulho das pisadas dele. Eu disse que tentaria controlar o barulho, mas que criança é criança. Já tinha questionado outra vizinha sobre quem morava no apartamento de baixo e ela disse que se tratava de um pai divorciado que recebia a visita da filha a cada 15 dias e que ele sabia que se tratava de um prédio com crianças e que não poderia reclamar do barulho do Miguel, ainda mais por ter uma filha pequena também. Mas, parece que a namorada dele pensa diferente. Uma pena pra ela que não tem filhos e que perdeu ao longo da vida as doces lembranças da sua infância.

A primeira coisa que fiz foi pesquisar sobre "Kindergeräuche"(barulhos causados por crianças) e mandar um email para a Arlete que já tinha escrito sobre a implicância de um vizinho alemão com o barulho da filha dela. Existe um período do dia, o Ruhezeit, que geralmente vai de 22 às 06 e das 13 as 15 horas, e nesse período pede-se que se faca silencio, se possível. Claro que a regra não pode obrigar uma criança a ficar quieta principalmente se ela tem menos de 7 anos. Cada prédio tem também o seu Hausordnung, um livro com as regras do prédio, que vou ler de cabo a rabo pra ver se fala algo sobre isso. Ah, tem os barulhos abusivos como jogar bola dentro do prédio, andar de bobbycar, e esses são mesmos proibidos.

O Bebeto diz que não vale a pena brigar com vizinho, eu também acho, mas conhecer os seus direitos e saber se impor é necessário. Não vou permitir que ninguém tire os meus direitos por que sou estrangeira e não falo bem alemão, principalmente se isso envolver o bem estar dos meus filhos. Vou me preparar bem para saber defender o direito de criança ser criança, afinal isso é peca essencial para o desenvolvimento físico e psicológico de uma pessoa e garantia de que o mundo tenha adultos felizes, leves, flexíveis e por que não dizer menos implicantes como a minha vizinha.

9 de novembro de 2010

Para quem quer voar para o Brasil

Fonte: Google imagens

Estou colada nos sites das companhias aéreas a procura de promocoes, que estão cada vez mais raras para países da América do Sul. O plano é viajar em janeiro ou fevereiro e infelizmente nesse período as passagens são absurdamente caras, mas não custa tentar encontrar algo mais acessível, né?

Fucando muito acabei encontrando uma super promoção da TAM, para quem quer viajar ainda em novembro e retornar antes do dia 14 de dezembro. Passagem a partir de Frankfurt para o Rio de Janeiro por 590 euros. Inacreditável, né? A metade do preço de uma passagem normal. Uma pena que seja uma data ruim para mim, principalmente por que não quero viajar no primeiro trimestre da gravidez, mas que está tentador, está.

Sobre a gravidez e outras coisinhas...

Finalmente consegui agendar uma consulta para o final dessa semana. Pelas minhas contas, já estou de 7 semanas de gravidez e não consegui começar o pré-natal ainda pois todos os ginecologistas resolveram tirar férias. Já tinha escolhido o médico que queria que me acompanhasse, mas ele nunca tem horário, então acabei marcando uma médica que uma amiga me indicou. Estou ansiosa por essa consulta e para ver o meu "nenem" pela primeira vez.

Resolvi mudar o visual. Já não estava me aguentando gorda, cabeleira branca e cabelo estilo "maria madalena". Vamos por partes! Eu sei que não deveria estar gorda, afinal são apenas 7 semanas, mas a verdade é que eu sou gulosa mesmo e já engordei 1 quilo. Eu tenho cabelos brancos e não são poucos. Alguns médicos não vêem problema algum em usar química no cabelo durante a gravidez, outros acham que pode causar danos no desenvolvimento fetal. Pelo sim, pelo não, prefiro não usar nos 3 primeiros meses de gravidez. Então o jeito é olhar no espelho e achar o charme de ter mechas brancas espalhadas por toda a parte.

Já que a gordura e as mechas vão ter que permanecer aqui por um tempo, passei a tesoura. Andando pelo shopping, observei o trabalho de uma cabeleireira alemã e resolvi vencer meu medo de cortar o cabelo por aqui. Gostei muito do resultado. Tirei um pouco no comprimento, repiquei um pouco, dando mais leveza ao cabelo. Sai de lá me sentindo uns 5 anos mais nova. É engraçado como uma simples mudança no visual faz a gente se sentir melhor e mais feliz com a gente mesmo. Acho que mudar é uma das coisas essenciais na vida de uma mulher.

Ainda não conseguimos colocar tudo no lugar na casa nova, tem muita coisa que preciso comprar, alguns móveis, algumas coisinhas de decoração. Ando com uma preguiça danada e estou me dando o direito de vivenciar isso. Faço as coisas devagar e acho que com mais umas 2 ou 3 semanas tudo vai estar do jeitinho que quero. Por enquanto deixo fotos da casa antes da mudança para vocês conhecerem um pouco o nosso cantinho e claro a foto do novo visual.


antes /depois

prédio /quarto casal


quarto Miguel/ banheiro


quarto hóspedes /cozinha


sala

"Muitas são, Senhor, Deus meu, as maravilhas que tens operado e os teus pensamentos para conosco; ninguém há que se possa comparar a ti; eu quisera anunciá-los, e manifestá-los, mas são mais do quese podem contar. " Salmo 40:8

5 de novembro de 2010

A primeira vez


"Mãe não tem limite, é tempo sem hora, luz que não apaga quando sopra o vento e chuva desaba, veludo escondido na pele enrugada, água pura, ar puro, puro pensamento."
Carlos Drummond de Andrade

O Miguelzinho sempre dormiu comigo. Primeiro por que passamos os 6 primeiros meses dele no Brasil e a cama era grande demais para eu dormir sozinha. Depois por que nosso apartamento só tinha um quarto e a cama dele ficava do lado da nossa(ainda assim ele queria dormir junto com a gente). Contrariando diversas opiniões, inclusive a da pediatra dele, pratiquei a cama compartilhada nos quase 3 anos de vida dele e não acho que isso tenha atrapalhado em nada o meu casamento, nem o desenvolvimento do Miguel. Claro que dividir a cama com uma criança espaçosa feito ele não é nada confortável, mas tem as vantagens de não ter que levantar a noite para dar a mamadeira ou socorrer a criança por causa de um pesadelo.

Agora sinto que ele já está maduro o suficiente para sair do nosso quarto e como ele tem o sono muito leve percebi que minhas inúmeras idas ao banheiro no meio da madrugada (coisas de grávida) estavam atrapalhando o sono dele. Ontem foi a primeira vez que ele dormiu sozinho no quarto dele. Dormiu a noite inteira até às 05:45 quando resmungou e eu fui deitar com ele por alguns minutos até ele pegar de novo no sono. Para ele, a primeira vez parece ter sido ótima e eu fico feliz e mais segura de que estou fazendo a coisa certa, no momento certo. Já para mim, a noite não foi tão fácil assim. Bicho estranho é mãe! A gente se preocupa sempre, levanta para ver se a criança está com frio, se caiu da cama, sem falar nas coisas engraçadas que passam pela cabeça da gente.

Ainda acho que filho devia vir com manual de instrucoes, facilitando as coisas para gente e mostrando o caminho certo a seguir. A verdade é que o manual, para funcionar, deveria ser personalizado, afinal cada criança é diferente, cada uma tem seu tempo e nem tudo que serve para uma, serve para outra. Nessas horas o que vale é a sensibilidade e a intuição de mãe. Não valem livros, nem opiniões alheias. Claro que compartilhar experiências faz bem, mas é o coração da gente que nos faz escolher a coisa certa. Algumas escolhas que eu fiz com o Miguel foram muito criticadas, outras elogiadas, mas foram todas pensadas, repensadas, ponderadas. Algumas vezes eu errei, outras acertei. Se pudesse voltar o tempo, faria algumas coisas de forma diferente, mas a maioria eu faria igual. Sempre que errei com ele, errei com amor e por amor; errei tentando acertar. No final das contas não é isso que importa? E cá entre nós, tem alguém nesse mundo que sempre acerta?

2 de novembro de 2010

Casa nova


Estamos na casa nova desde a sexta feira passada. Correu tudo bem na mudança, graças a Deus e a ajuda de cinco super amigos que nos ajudaram em tudo e mais um pouco. Ainda tem muita coisa para ajeitar por aqui, mas a maior parte das coisas já está nos lugar. Os móveis já foram montados e só ficou faltando uma parte da cozinha.

Para mim a mudança foi uma loucura. Grávida sem poder colocar a mão na massa e ainda tendo que lidar com três dias de febre alta do Miguelzinho. Em quatro dias morando aqui já tive que experimentar o atendimento de urgência do hospital que fica ao lado aqui de casa. A médica não encontrou explicação para a febre alta, o corpo todo manchado de vermelho e os três dias sem comer. Eu e o Bebeto achamos que foi emocional devido a mudança e ao estresse dos últimos dias. Agora ele já está bem melhor, só não tem dormido muito bem, mas isso nem é novidade pra gente.

Hoje entregamos o apartamento antigo, motivo de mais estresse. Calendário de lixo trocado por causa do feriado e horário de funcionamento maluco do centro de reciclagem (onde se joga os lixos de metal) ainda tem nos dado muita dor de cabeça. O servico por lá parece nao ter fim. Pelo menos sabemos que hoje tudo será resolvido e às 17 horas nos livramos desse elefante branco.

Quanto ao apartamento novo, até agora não temos do que reclamar. Só estranhei mesmo a vizinhanca, pois esperava vizinhos mais reservados. Os daqui já falaram que adoram comer junto, fazer churrasco e que estão disponíveis para ajudar no que a gente precisar. Melhor do que a gente esperava! Já recebi a visita da minha vizinha da frente que ficou aqui durante 1 hora conversando (sim, em alemão e com um sotaque de doer meus ouvidos) e que trouxe a neta de 11 anos para tomar conta do Miguel. E já pediu para me ajudar a tomar conta do nenem quando ele nascer. Mas, nos queremos mesmo é fazer amizade com a mulher do apartamento de cima, pois ela tem um São Bernardo gigante e a gente nem tá na seca para brincar com um cachorro, né?

Bom, acho que ficarei um pouco ausente dos blogs por alguns dias, mas vou voltando aos poucos a rotina virtual. Sei que devo fotos mas vou colocando a medida que a minha casa deixar de ser um caos. Tenho também muitos emails na caixa de entrada e peco desculpas por nao ter respondido ainda. Com o passar dos dias coloco tudo no devido lugar, eu espero!

Fonte imagem: http://2.bp.blogspot.com/_ikXKOfLYdSU/SnTjDeMyeAI/AAAAAAAAJV8/lqLo4vANevI/s400/Casa.png